Fed: Daly diz que variante Delta do coronavírus representa ameaça à recuperação

A presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de São Francisco, Mary Daly, faz um alerta: a variante Delta do coronavírus representa uma ameaça à recuperação econômica global. Em entrevista ao Financial Times, a dirigente pediu cautela na remoção de estímulos monetários em meio às baixas taxas de vacinação em algumas partes do mundo. “Acho que um dos maiores riscos para o nosso crescimento global, daqui para frente, é declararmos vitória sobre a covid-19 prematuramente”, afirmou. “Não superamos a pandemia , estamos superando a pandemia”, acrescentou.

A postura cautelosa de Daly, que tem direito a voto nas reuniões deste ano do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) vem após uma semana de alguma aversão a risco nos mercados internacionais, com investidores assustados com a disseminação da variante Delta e especulando sobre os possíveis efeitos na retomada da atividade – o que também foi lembrado pela presidente do Fed de São Francisco. “Os mercados respondem a essas coisas risco associado à nova cepa. Isso pode, é claro, diminuir os rendimentos dos Treasuries, porque há precificação de risco”.

Para Mary Daly, uma eventual alta na taxa básica de juros americana deve vir apenas depois do encerramento das compras de ativos por parte do BC dos Estados Unidos. Hoje, o mercado discute em que momento o Fed dará início à diminuição no ritmo dessas operações, em um movimento chamado de “tapering”. “Estamos prontos para reduzir as compras de ativos no momento apropriado”, declarou Daly ao FT, acrescentando que a divisão entre os dirigentes do Fed sobre o momento de tal redução dos estímulos monetários, explicitada na mais recente ata da autoridade, é “saudável”.