Frango/Cepea: outros destinos compensaram perda de mercado na Arábia Saudita

O Brasil conseguiu compensar com outros mercados o volume de carne de frango deixado de embarcar para a Arábia Saudita devido ao embargado anunciado em maio, disse o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), que compilou dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia. “Os aumentos nas exportações da proteína nacional para outros importantes destinos, como China e Japão, compensaram a redução dos embarques à Arábia Saudita e sustentaram os volumes totais escoados pelo Brasil”, disse em relatório.

Conforme o levantamento, em junho as exportações de carne de frango ao país árabe caíram pela metade (51%), somando apenas 23,2 mil toneladas, a menor quantidade desde junho/18. “Na contramão, também de maio para junho, os envios da proteína brasileira à China e ao Japão cresceram 2,6% e 12,5%, respectivamente, somando 56,6 mil toneladas e 36,4 mil toneladas.”. Os dois países foram os principais destinos do produto no último mês. No total, foram 397,5 mil toneladas de carne de frango exportadas pelo Brasil em junho, queda de 4,1% ante maio. “Ainda assim, a quantidade exportada mês passado ficou 16,2% acima da verificada em junho/20, conforme dados da Secex.”

No mercado interno, os preços do frango subiram na última semana, conforme o Cepea. Em Toledo (PR), o produto congelado foi negociado a R$ 7,51/kg ontem (7), aumento de 3,4% frente à quarta-feira anterior (30). Para o frango resfriado, a valorização foi de 3,3% no mesmo período, a R$ 7,67/kg. “Na Grande São Paulo, a elevação nos preços foi de 4,6% tanto para o congelado quanto para o resfriado, comercializados a R$ 7,23/kg e a R$ 7,25/kg, respectivamente.”

De acordo com o centro de estudos, no atacado da Grande São Paulo compradores adiantaram compras devido ao feriado desta sexta-feira (9). “O filé de peito resfriado foi negociado a R$ 11,57/kg no dia 7, valorização de 6,2% frente ao dia 30 de junho. Para a coxa com sobrecoxa, o aumento no preço foi de 3% no mesmo período, com o produto resfriado indo a R$ 7,45/kg.