Mercado de imóveis apresentará um avanço de 5% a 10% neste ano

O mercado imobiliário brasileiro está passando como um trator pela crise econômica provocada pela pandemia, e as projeções indicam para 2021 um crescimento de 5% a 10% em relação ao ano passado. A expectativa é da Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC).

O otimismo é impulsionado pela expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) na casa dos 3,5%, as taxas de juros sugadas pela Selic a patamares baixíssimos e até mesmo pela aproximação da reforma tributária, que poderá elevar ainda mais o desempenho do setor.

O ponto negativo deste cenário ainda é a pressão pela alta dos preços dos insumos usados na construção civil. Mas já há uma pré-disposição do governo federal de abrir diálogo com as empreiteiras para que o Programa Casa Verde e Amarela continue estimulando novos lançamentos imobiliários.

“Temos tudo para ter um ano positivo, ao menos na construção civil”, avalia Samuel Ferreira da Silva, gestor imobiliário do Grupo MBL (que detém a Silva Empreendimentos e a Fonsil). “Há uma união de conjecturas que parecem levar à aceleração do setor. Isso é positivo para todo mundo. O impulsionamento de um mercado que já é forte por natureza, como o da construção, significa mais contratações, movimentação da economia e novas oportunidades de negócios. Isso pode ser a salvação neste momento de crise aguda”, avalia Silva.

Da Assessoria