Município viabiliza aporte de R$1 milhão para Garantioeste

A assinatura do termo aditivo visibiliza aporte de R$1 milhão de recursos do município a Sociedade Garantidora de Créditos (Garantioeste). O ato que ocorreu no auditório da prefeitura de Toledo, na manhã de sexta-feira (4), visa alavancar R$ 10 milhões em crédito para estimular a economia.

O prefeito, Beto Lunitti, declarou que o feito só pode acontecer devido a união de esforços entre o poder executivo, poder legislativo, cooperativas de créditos e demais envolvidos. Nesse processo, ele reforçou a atuação da Câmara Municipal que tem dado apoio a essa iniciativa.

“Esse aporte de R$ 1 milhão irá beneficiar os setores da sociedade. Esse crédito para apoiar o micro e pequeno empreendedor, as mulheres e os jovens, temos preocupação em ajudar esses setores também para que tenham o sustento e façam a economia girar”, pontuou.

O prefeito comentou que para contratar o empréstimo é preciso atender alguns critérios como para realização de investimentos, para micro e pequenos empreendedores das áreas fabril, de comércio e de prestação de serviços, capital de giro, para empresas classificadas como microempresas, pequenas empresas e microempreendedores individuais, fomento de suas atividades, para produtores da agricultura familiar que estejam incluídos em pelo menos um dos Programas de Aquisição de Alimentos em âmbito federal e municipal, entre outros critérios.

OPORTUNIDADE PARA O PEQUENO – “A iniciativa de fomento da Garantioeste marcou Toledo”, destacou o presidente da Garantioeste do Danilo Gass. “Isso foi construído por várias mãos e já movimentou R$259 milhões, pois atendemos 69 municípios. A central está aqui, mas nossa abrangência vai além de Toledo. Já foram 201 cartas. Com esse aporte de voltar para Toledo R$ 1 milhão já gera mais movimentação na economia”.

Conforme Gass, os tickets variam entre R$5 mil a R$15 mil. Ele pontua que são valores que podem garantir o sustento do micro e do pequeno empreendedor, um público que não é considerado inadimplente – conforme os números – mas, que não consegue linhas de créditos satisfatórias junto as grandes instituições financeiras, tão pouco com juros acessíveis – a média nacional é de 2%, enquanto que na Garantioeste não passa de 1%.

“As cooperativas salvaram as empresas e conseguem achatar a taxa de juro.  Isso oxigena o processo. Duas grandes instituições financeiras do país deixaram de emprestaram R$ 50 bilhões aos empreendedores, neste período. É preciso ter coragem para empreender”, mencionou. A solenidade contou com a presença de membros da cooperativas de crédito do Sicredi, Sicoob e Cresol.

APOIAR PARA CRESCER – Representante da Sociedade Garantidora de Crédito (SGC/Brasil), Edson Luiz Carollo, parabenizou os envolvidos pela inteligência do processo que visa levar saúde financeira. “As financeiras correm atrás dos grandes. A inadimplência parece maior entre os pequenos, mas não é. Ele paga as contas.  Ele sabe que tem que pagar. Essa iniciativa vem ao encontro desses anseios e mostra que Toledo se prepara para o crescimento e este é o momento certo de apoiar para crescer”.

Conforme o secretário do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, de Inovação e Turismo, Diego Bonaldo, o projeto é para trazer mais desenvolvimento. “É primordial que a prefeitura consiga auxiliar. As cartas serão de até R$ 25 mil para o pequeno empreendedor que não vai deixar de pagar as 48 parcelas”, explicou Bonaldo ao acrescentar que a medida permite atender até 400 empresas.

Da Redação

TOLEDO