Para S&P, América Latina pode ter recuperação econômica mais lenta nos emergentes

A América Latina foi uma das regiões do planeta mais afetadas pela pandemia do coronavírus e agora pode ser o local com recuperação econômica mais lenta, disse a diretora gerente da S&P Global, Lisa Schineller, em evento da B3 com a Eurasia nesta segunda-feira.

Sobre a dívida, os países entraram na pandemia com situações diferentes no endividamento. E agora alguns têm mais escopo para novas medidas emergenciais, caso a segunda onda de coronavírus se aprofunde, e outros menos.

A dúvida que permanece ao entrar em 2021, disse a diretora da S&P, é se a pandemia exacerbou as fraquezas econômicas dos países da América Latina. A região, disse ela, ficou com um terço das mudanças negativas nos ratings na pandemia.

Na comparação entre emergentes e desenvolvidos, a maioria das ações negativas nos ratings se concentrou nos emergentes.