Seguro DPVAT quem tem direito e como dar entrada

Se você chegou até aqui, está com dúvidas sobre o seguro DPAVT, não é mesmo? A boa notícia é que está no lugar certo. A partir de agora, vamos explicar o seu conceito, como funciona, características, entre outras questões. Acompanhe e evite problemas no futuro.

O que é Seguro DPVAT?

Trata-se de um imposto obrigatório que o proprietário de um automóvel precisa pagar junto com o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores). Ele pode ser utilizado para três tipos de situações, como: morte, invalidez permanente total ou parcial, despesas médicas e hospitalares.

No caso de mortes, ocorre uma indenização de até R$13,5 mil. O valor é repassado aos herdeiros da vítima, de acordo com a sucessão legítima. Já para as situações de invalidez permanente total ou parcial, há uma indenização de até R$ 13,5 mil. A quantia é depositada tanto para invalidez total quanto parcial de membro, movimento ou função que foi machucada pelo acidente.

Para as situações que são necessárias despesas médicas, hospitalares e farmacêuticas da rede privada, o valor reembolsado será de até R$2,7 mil. No entanto, é fundamental deixar claro que o seguro tem cobertura de até três anos. Depois desse prazo, é necessário fazer uma renovação para ter direito aos benefícios novamente.

O que o seguro DPVAT não cobre?

Na hora de contratar um seguro DPVAT é fundamental ter um cuidado especial para descobrir o que o seguro não cobre. Dessa forma, você não será surpreendido nos próximos dias.

A lista de restrições contém: danos materiais, acidentes sem vítimas, acidentes com automóveis estrangeiros que transitam em território nacional, acidentes no exterior mesmo que o carro seja regularizado em nosso país, prejuízos pessoais que não foram motivados por automóveis de via terrestre ou por sua carga, além de multas e fianças que são impostas aos condutores.

Quem pode receber seguro DPVAT?

Não há restrições para receber a indenização do DPVAT. Qualquer pessoa que sofre acidente de trânsito no Brasil pode receber a indenização. Ao contrário do que muita gente imagina, o benefício é concedido não só ao motorista, mas também para o passageiro e pedestre. No entanto, existem algumas regras que precisam ser levadas em consideração.

O próprio proprietário recebe indenização quando há invalidez permanente e despesas médicas e hospitalares. Em situações de morte, os herdeiros legais da(s) vítima(s) recebem a indenização.

Porém, se o condutor do automóvel responsável pelo sinistro não tiver quitado o pagamento do DPVAT nos anos anteriores, ele não terá direito a cobertura nos acidentes de trânsito. Débitos em atraso também impedem que o proprietário faça o licenciamento do veículo.

Existe isenção para o seguro DPVAT?

A resolução CNSP Nº 399 DE 29 DE DEZEMBRO DE 2020 determinou que todas as categorias de veículos automotores estarão isentos do pagamento este ano. Porém, se você pretende efetuar a dívida do Seguro de exercícios até 2020, recomendamos fazer a emissão da guia clicando clicando neste link.

É fundamental deixar claro que os proprietários dos automóveis que têm registro no Estado de São devem efetuar o pagamento somente nas instituições financeiras autorizadas. Para mais detalhes, acesse www.detran.sp.gov.br.

Antes de adquirir qualquer tipo de veículo, é fundamental deixar claro o quanto é importante ter um cuidado especial com a documentação. Geralmente, alguns tipos de empresas oferecem automóveis com todos os pagamentos em dia, como é o caso da Karvi.

Além desse benefício, a Karvi contém certificação mecânica de mais de 280 itens, garantia de um ano e profissionais capacitados para acompanhá-los em todos os processos.

Após descobrir quais são os principais detalhes do Seguro DPVAT, siga-nos nas redes sociais e conheça outras orientações importantes para o seu bolso.