UE: ainda há riscos, mas podemos ser cautelosamente otimistas, afirma Dombrovskis

Vice-presidente da Comissão Europeia para a Economia, Valdis Dombrovskis demonstrou hoje “otimismo cauteloso” sobre o quadro da pandemia da covid-19 na região. Durante entrevista coletiva, ele reconheceu que “ainda há riscos” na crise de saúde, mas disse ver melhoras nos números da zona do euro na pandemia. De qualquer modo, reafirmou o compromisso da União Europeia para apoiar a economia da região.

“A pandemia continua a definir nossas perspectivas, mas as projeções mais recentes mostram que estamos revertendo a tendência”, disse Dombrovskis nesta terça-feira, 16. “Ainda há muitos riscos, mas podemos ser cautelosamente otimistas”, apontou. Ele disse que a UE trabalha para liberar rapidamente a verba já aprovada para apoiar os países e cobrou que os fundos sejam bem utilizados, acompanhado de reformas necessárias nas nações.

Dombrovskis também disse que a UE pretende traçar diretrizes sobre medidas de apoio fiscal, mas também sobre a retirada gradual do apoio fiscal conforme o impulso fiscal seja retomado.

A autoridade da UE também falou sobre investimentos verdes. Um jornalista questionou se esses investimentos poderiam ser excluídos dos registros de dívida dos países. Dombrovskis comentou que, “para não criar confusão”, esses gastos também aparecerão como débito nas contas dos países, a menos que sejam fruto de algum apoio vindo do exterior.

Dombrovskis falou ainda sobre a situação corporativa. Ao ser questionado sobre o que seriam as empresas consideradas viáveis, que receberão apoio oficial, ele disse que a definição da UE para isso é que as companhias viáveis são aquelas que já o eram antes da pandemia, por esta ser um choque “temporário e externo”.