Aprovados na primeira etapa do Exame Nacional de Residência Ebserh (Enare) já podem escolher o local de atuação

A partir de hoje, terça-feira (9), os candidatos aprovados na primeira etapa do Exame Nacional de Residência Ebserh (Enare) deverão escolher onde desejam realizar a Residência, de acordo com a nota alcançada. Os editais estão publicados no site do Enare.

O candidato poderá optar por duas instituições que possuem vaga para o curso escolhido no ato da inscrição. A primeira oportunidade está aberta e segue até às 23h59min (horário de Brasília) do dia 12 de fevereiro. A segunda chance será de 00h00 do dia 17 até às 23h59min de 19 de fevereiro (horário de Brasília), voltada apenas para os candidatos não classificados dentro das vagas disponíveis na primeira opção.

Foram disponibilizadas 405 vagas no total, sendo 304 para 41 especialidades de Residência Médica, oito para a Residência Uniprofissional (entre Enfermagem e Física Médica) e 93 para a Residência Multiprofissional, que inclui enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais, odontólogos, nutricionistas e profissionais de Educação Física.

As provas foram aplicadas no dia 10 de janeiro, em todas as capitais do país e nas cidades de Araguaína (TO), São Carlos (SP) e Lagarto (SE), com a presença de 2.787 candidatos.

Todo o processo seletivo pode ser acompanhado pelo site do Enare.

Sobre a Rede Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) foi criada em 2011 e, atualmente, administra 40 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência.

Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), e, principalmente, apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas. Devido a essa natureza educacional, os hospitais universitários são campos de formação de profissionais de saúde. Com isso, a Rede Ebserh atua de forma complementar ao SUS, não sendo responsável pela totalidade dos atendimentos de saúde do país.

Da Assessoria