Ainda abalado, Santos celebra reação e garante foco na vaga na Libertadores

Perder uma final da Copa Libertadores com um gol sofrido nos acréscimos do segundo tempo abalou o Santos. Foi o que admitiram jogadores e o técnico Cuca na sequência do empate por 3 a 3 com o Grêmio, nesta quarta-feira, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro. Ao mesmo tempo, porém, destacaram o poder de reação da equipe, assegurando que o foco está em buscar uma nova participação no torneio continental.

Afinal, o time conseguiu arrancar a igualdade mesmo após estar perdendo por 3 a 1 e ainda com um jogador a menos, pois Sandry foi expulso durante o segundo tempo. E com um time desfalcado das suas principais estrelas, os atacantes Marinho e Soteldo. Um espírito de luta que foi destacado pelo zagueiro Luan Peres após o duelo.

“Como o Pará fala, no futebol não tem lugarzinho para coitado. Se entrássemos no marasmo, cabisbaixos, a gente levaria um sacode do Grêmio que não tem nada a ver com isso. Por isso, entramos focados, Cuca deu uma baita preleção e motivou muito a gente. Tivemos um deslize no jogo, mas mostramos a nossa força, conseguimos o empate e se tivesse mais cinco minutos era mais para a gente ganhar do que eles”, disse o zagueiro, que ajudou na construção do primeiro gol do time após o duelo.

O empate, porém, pouco ajudou o Santos na classificação. Afinal, o time completou o quarto jogo consecutivo sem vitória no Brasileirão, com três derrotas e um empate. Está na décima colocação, com 46 pontos, a dois do Corinthians, que é hoje o oitavo, sob a perspectiva de a zona de classificação à Libertadores, o G6, se transformar em G8.

O Santos voltará a jogar no sábado, quando visitará o Atlético Goianiense, pela 35.ª rodada. Cuca terá novamente problemas para escalar o time, pois Sandry foi expulso no empate com o Grêmio e Madson recebeu o terceiro cartão amarelo.

“Os jogadores têm de tirar isso (o vice da Libertadores) como lição. Não tem coitadinho, nada. Estávamos com ânimos renovados, buscamos o empate com um jogador a menos. Esses meninos estão de parabéns. Acho que todo torcedor santista tem de ter orgulho deles”, comentou o treinador santista.