Após derrota, jogadores do Fluminense reconhecem que erraram demais em Goiânia

Em uma noite em que quase nada deu certo, coube aos jogadores do Fluminense reconhecerem que não jogaram bem na derrota para o Atlético-GO, por 2 a 1, nesta quarta-feira, em Goiânia pela 26.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Vários deles tiveram avaliações parecidas.

Para Felippe Cardoso, que marcou o gol do time nos acréscimos do segundo tempo, o principal problema foram os passes errados. “Acho que faltou caprichar no último passe para chegarmos em condições de finalizar”.

Mas, segundo ele, o técnico Marcão tinha alertado sobre as dificuldades deste jogo. “Nós sabíamos que este jogo seria difícil, principalmente pela intensidade que o time deles imprime aqui em casa. Sem o último passe nós não conseguimos reagir e evitar a derrota”.

Para o lateral Danilo Barcelos, o time errou muito, principalmente no primeiro tempo. “Não marcamos bem, erramos passes e demos espaço para o adversário”.

O meia Nenê não entendeu a marcação do pênalti que resultou no segundo gol goiano aos 42 minutos da etapa final. Após um escanteio, a bola tocou em seu braço, mas o jogo aparentemente iria continuar. Tanto que ele, naquela atura, estava sendo substituído por Paulo Henrique Ganso. Quando ganhava fôlego no banco é que viu o árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira marcar o pênalti após a consulta ao VAR. “Sinceramente, a bola tocou no meu braço, mas não houve nenhuma intenção. Acho que isso não é pênalti”, concluiu.