Após volta, Hamilton diz que se sentiu no ‘1º dia de aula’ e elogiou Russell

De fora do GP do Sakhir, no Bahrein, na semana passada, por ter sido infectado pela covid-19, o inglês Lewis Hamilton fez a sua volta à Fórmula 1 nesta sexta-feira ao participar as duas primeiras sessões de trinos livres do GP de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, que fecha a temporada de 2020. O piloto da Mercedes, que nunca havia ficado fora de uma prova da categoria na carreira, comparou a experiência do retorno com o primeiro dia de volta à escola após as férias.

“Pareceu o primeiro dia de volta às aulas. Então demorou um minuto para me acostumar na primeira sessão e depois na segunda, acho que ainda estava me orientando, mas não foi muito ruim. Perdemos 40 minutos (quando relatou problemas no freio da Mercedes) no início do dia, mas conseguimos terminar a maior parte das coisas”, relatou Hamilton.

Campeão da Fórmula 1 pela sétima vez na carreira – se igualou ao alemão Michael Schumacher -, o inglês garantiu estar relaxado e ressaltou que não tem nada a provar em seu retorno, assim como os membros de sua equipe, já que ambos conquistaram antecipadamente os heptacampeonatos de pilotos e construtores.

“Só quero vir aqui e aproveitar este fim de semana, aproveitar o que faço. Temos tido muito trabalho na fábrica e foi um privilégio correr com todos este ano. Portanto, não temos mais nada a provar. Não sinto que eu tenho nada a provar. Só estou aqui para me divertir”, afirmou.

Na etapa anterior, Hamilton viu do hotel em Manama, capital do Bahrein, onde ficou isolado por 10 dias, o bom desempenho do compatriota George Russell com seu carro no GP do Sakhir. “Acho que George fez um trabalho incrível e todo mundo sabe disso. Mas foi definitivamente estranho. Nos meus 27 anos de corridas, nunca perdi uma corrida. Então, sim, um dia, escreverei um livro sobre isso. Mas, como disse, estou muito grato por voltar”, confessou.

Na sua primeira vez com o carro em 15 dias, na primeira sessão livre, o inglês ficou com o quinto melhor tempo e atrás do companheiro Valtteri Bottas, que foi o segundo mais rápido. Já na segunda atividade, Hamilton melhorou e ficou com a segunda marca do dia, novamente atrás do piloto finlandês.