ATP confirma Djokovic no topo do ranking até o fim do ano e novo recorde

A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) confirmou nesta sexta-feira que Novak Djokovic terminará o ano na liderança do ranking pela sexta vez em sua carreira, igualando o recorde do americano Pete Sampras. Aos 33 anos, o tenista sérvio se torna o mais velho a encerrar a temporada na primeira posição.

A confirmação veio com a divulgação da chave do Torneio de Sofia, na Bulgária, sem a presença de Rafael Nadal. O espanhol era o único que poderia desbancar Djokovic no topo da lista da ATP. Mas, para tanto, precisaria vencer o Masters 1000 de Paris, o ATP Finals e também o torneio búlgaro, disputado entre as duas grandes competições.

Para Djokovic, a pontuação necessária para se manter no número 1 até o início da próxima temporada foi conquistada no Torneio de Viena, na semana passada. Mesmo eliminado nas quartas de final, o sérvio obteve pontos suficientes para praticamente assegurar o topo, o que foi confirmado nesta sexta.

Djokovic também terminou a temporada na primeira posição do ranking nos anos de 2011, 2012, 2014, 2015 e 2018. Agora ele está empatado com Sampras, que obteve o mesmo feito entre 1993 e 1998.

“Pete foi alguém que acompanhei quando era criança. Então, igualar um recorde dele é um sonho que vira realidade. Eu vou continuar me esforçando para ser um jogador melhor, para quem sabe ter mais sucesso e quebrar mais recordes num esporte que amo com todo o meu coração”, disse o sérvio.

Principais rivais de Djokovic, Nadal e o suíço Roger Federer terminaram o ano na liderança do ranking em cinco temporadas cada. O espanhol dominou a lista da ATP em 2008, 2010, 2013, 2017 e 2019. Federer, por sua vez, ficou no topo ao fim dos anos de 2004, 2005, 2006, 2007 e 2009.

É a 16ª vez nos últimos 17 anos quem um dos três tenistas termina a temporada na primeira posição. A única exceção foi o escocês Andy Murray, que obteve o feito em 2016. Antes do trio dominar, o último a liderar o ranking no fim do ano foi o americano Andy Roddick, em 2003.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *