Botafogo marca nos acréscimos e tem empate com sensação de vitória contra o Avaí

Ainda não foi desta vez que o Botafogo desencantou fora de casa pelo Campeonato Brasileiro da Série B. Continua sem vencer, mas no empate por 1 a 1 com o Avaí, neste sábado, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, sentiu a sensação de vitória. Mesmo porque perdia o jogo e só empatou nos acréscimos, aos 47 minutos, com Marco Antônio.

O resultado, válido pela nona rodada, acabou premiando os botafoguenses pelo espírito de luta. Jogou bem no primeiro tempo, mas sentiu no segundo quando o Avaí fez suas trocas e cresceu de produção. Agora são três empates e duas derrotas fora e com 12 pontos ocupa a oitava posição. Mas tem um jogo a menos (8 a 9) do que seus principais concorrentes. O Avaí, que vinha de duas vitórias, tem 11 pontos em 10.º lugar.

Os dois times fizeram um jogo franco e aberto no primeiro tempo, onde o placar sem gols acabou não refletindo as boas chances criadas dos dois lados. Aos 10 minutos, Wesley Soares soltou a bomba na linha da grande área e acertou a trave esquerda do goleiro Douglas Borges, do Botafogo.

O time carioca quase abriu o placar com Rafael Navarro, aos 16 minutos, quando ele tentou encobriu o goleiro Glédson, mas a bola subiu demais. Depois também acertou a trave do adversário, quando Pedro Castro arriscou de fora da área, o goleiro Glédson ainda caiu na bola que subiu e tocou no travessão. Um lance incrível.

No segundo tempo, o Botafogo voltou melhor. O jogo, porém, caiu de ritmo tanto que os dois técnicos começaram a fazer suas substituições. O Avaí se deu melhor ao trocar seus três atacantes e dois meio-campistas. O time ganhou força e fez o gol da vitória aos 23 minutos. Copete deu o passe na frente da área para Lourenço, que driblou Luis Oyama e chutou cruzado no canto direito do goleiro.

As trocas feitas pelo técnico Marcelo Chamusca não surtiram o mesmo efeito, mostrando que o elenco do Botafogo é limitado. Mesmo assim, o time mostrou valentia e tentou buscar o empate na base da pressão, mesmo correndo risco de sofrer o segundo gol nos contra-ataques.

O Avaí poderia ter liquidado a fatura aos 44 minutos, quando Douglas Borges fez duas defesas. Primeiro num chute sem ângulo de Copete e depois numa finalização de João Lucas. Quem não faz, toma. O Botafogo foi para o tudo ou nada e empatou aos 47 minutos. Pelo lado direito, Warley levantou na área, a defesa não cortou e Marco Antônio chutou de primeira, sem deixar a bola cair. Um belo gol.

O lance, porém, gerou dúvidas e protestos. Todos os jogadores do Avaí reclamaram de impedimento e o jogo ficou parado três minutos. Na volta, sob tensão, o Botafogo se segurou.

Na 10.ª rodada, o Botafogo vai enfrentar o CRB, nesta terça-feira, em Maceió. O Avaí também vai atuar fora na mesma noite, mas em Campinas (SP) diante da Ponte Preta.

FICHA TÉCNICA

AVAÍ 1 x 1 BOTAFOGO

AVAÍ – Glédson; Edilson, Fagner Alemão, Rafael Pereira e Diego Renan; Bruno Silva, Wesley Soares (Valdívia) e Lourenço (Jean); Renato (Copete), Jonathan (Getúlio) e Vinícius Leite (João Lucas). Técnico: Claudinei Oliveira.

BOTAFOGO – Douglas Borges; Daniel Borges (Felipe Ferreira), Kanu, Gilvan e Guilherme Santos (Rafael Carioca); Luís Oyama, Pedro Castro (Marco Antônio) e Barreto; Ronald (Warley), Rafael Navarro (Rafael Moura) e Diego Gonçalves. Técnico: Marcelo Chamusca.

GOLS – Lourenço, aos 23, e Marco Antônio, aos 47 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Nenhum.

ÁRBITRO – André Luiz de Freitas Castro (GO).

RENDA E PÚBLICO – Jogo com portões fechados.

LOCAL – Estádio da Ressacada, em Florianópolis (SC).