Com gols no 1º tempo, Argentina vence Peru e continua em 2º nas Eliminatórias

Com gols marcados no primeiro tempo, a Argentina conseguiu uma tranquila vitória na sua busca por uma vaga na Copa do Mundo de 2022, no Catar, ao derrotar a seleção peruana por 2 a 0, nesta terça-feira, em partida disputada em Lima e válida pela quarta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas.

O triunfo deixou a Argentina em situação confortável no classificatório, na segunda posição, com dez pontos, algo importante para quem vai enfrentar o Uruguai e o líder Brasil nas próximas rodadas do qualificatório, em março. Além disso, vinha de empate como mandante diante do Paraguai.

“Felizes com a vitória, precisávamos dela depois do jogo que disputamos no outro dia. Desde o início fizemos uma grande partida, os gols vieram e criamos muitas oportunidades”, disse Messi, festejando a imediata recuperação da Argentina. “Já o segundo tempo do outro dia foi muito bom e acho que continuamos na mesma linha, até subindo um pouco o nível. Acho que é assim que temos que seguir. Aos poucos vamos nos fortalecendo como grupo”, acrescentou.

Na noite desta terça, a Argentina foi eficiente na etapa inicial, quando abriu vantagem com os gols de González e Lo Celso. E correu poucos riscos diante da seleção peruana, que deu muitos espaços em sua defesa e falhou nas finalizações, com dificuldades para criar boas jogadas.

Messi chegou aos 142 jogos pela Argentina nesta terça. Não brilhou, mas apareceu com perigo no segundo tempo, tendo criado bons lances e reclamado de um pênalti. “Sempre que venho aqui procuro dar o meu melhor e me sinto em condições de lutar por esta camisa. Sinto-me bem por continuar a trabalhar e a somar jogos”, afirmou.

A seleção peruana, que esteve na Rússia em 2018, faz péssimo início de Eliminatórias. Sofreu a terceira derrota seguida, algo que não havia acontecido no qualificatório sob o comando de Ricardo Gareca, e está com apenas um ponto, em penúltimo lugar. Na próxima Data Fifa, Bolívia e Venezuela serão seus adversários.

A partida desta terça esteve, porém, em segundo plano no Peru, em grave crise política, com o dia tendo ficado marcado pela posse de Francisco Sagasti como presidente, o terceiro a ocupar o cargo em uma semana no país.

O JOGO – As seleções tiveram novidades em suas escalações no setor ofensivo. Em busca da recuperação do empate em casa, a Argentina teve Lo Celso, Lautaro Martínez e González acompanhando Messi. Já na seleção peruana, Cueva atuou ao lado de Carrillo, Flores e Lapadula, a novidade da formação.

E foi o meia ex-São Paulo e Santos quem apareceu pela primeira vez, numa jogada em que forçou o contato com o goleiro Armani, em busca do pênalti. A arbitragem demorou três minutos para tomar uma decisão, não marcando pênalti. E o susto para a seleção argentina ficou praticamente apenas nisso no primeiro tempo.

Com espaços, a Argentina perdeu chance clara em uma furada de Lautaro, mas marcou duas vezes com facilidade. Primeiro, aos 16 minutos, quando Lo Celso recebeu de Tagliafico na ponta esquerda, cortou seu marcador e passou para González, que limpou um peruano e bateu cruzado para fazer 1 a 0. Depois, aos 27, De Paul recebeu passe em profundidade, driblou Gallese e finalizou às redes.

Só aí a seleção peruana acordou na partida. Teve duas chances, em finalizações de Flores e Carrillo, que foram para fora, exatamente o oposto da eficiente Argentina no primeiro tempo em Lima. Essa dificuldade peruana em acertar a meta se repetia no começo da etapa final, quando Carrillo arriscou com perigo de fora da área.

O Peru parecia incomodar a Argentina e a ameaçá-la, o que levou Messi a aparecer mais no jogo. Criou duas jogadas individuais, numa delas em que pareceu ser derrubado na grande área por Santamaria, em lance ignorado pela arbitragem, e em uma finalização travada.

Mas as melhores chances vieram aos 26, após uma cobrança de falta, em que Gallese defendeu finalização de Di María. Ao 31, Messi, na sua arrancada típica, deixou Santamaría no chão, mas bateu para fora. Foi o último lance de emoção de uma vitória tranquila, mas sem muito brilho da Argentina. Como, aliás, vem sendo a sua campanha para ir ao Catar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *