Conheça a família de palmeirenses que irá ao estádio na semifinal do Mundial

Mesmo com o Catar fechado para turistas e repleto de regras de cuidado contra o novo coronavírus, uma família de palmeirenses estará no estádio neste domingo para a semifinal do Mundial de Clubes contra o Tigres, do México. Residente no país há dez anos, o veterinário Silvio Arroyo Filho, de 38 anos, vai levar ao estádio os filhos e todos serão umas das poucas testemunhas do jogo.

O governo local tem adotado uma política rigorosa de prevenção contra a covid-19. As fronteiras estão fechadas para turistas até 15 de fevereiro. Só podem entrar estrangeiros com compromissos profissionais. Ainda assim, quem chega ao Catar precisa cumprir uma quarentena de sete dias em um hotel e só poderá sair às ruas após realizar um teste final que tenha resultado negativo.

Os cuidados se estendem também ao Mundial de Clubes. A entrada nos estádios está condicionada à comprovação de vacinação ou teste recente negativo para covid-19. A capacidade dos locais das partidas está restrita a 40%. Os torcedores terão de usar máscaras e guardar distância entre si nos eventos. Mesmo com tantas exigências, os palmeirenses de Doha estão animados.

“Comprei os ingressos para a semifinal antes da final da Libertadores. Fiquei torcendo para que desse certo para o Palmeiras se classificar. Eu trabalho muito perto do local do jogo e vi o estádio crescendo dia a dia de dentro da janela do meu escritório. Não imaginava que teria essa oportunidade”, contou o torcedor ao Estadão. O palmeirense trabalha como veterinário do estábulo real do Catar e cuida dos cavalos que participam de competições de longas distâncias.

Paulista de Mogi das Cruzes, Silvio acostuma ficar acordado até bem tarde para ver os jogos do time. O filho mais velho, Gabriel de 14 anos, é outro fanático. Já Leandro, de 8, nasceu no Catar, mas também aprendeu a ter paixão pelo Palmeiras. A caçula, Maria Eduarda, tem 4 anos e começou a tomar gosto pelo futebol. Quando a família vem de férias ao Brasil, um compromisso é obrigatório: a ida ao Allianz Parque para acompanhar uma partida.

Ansioso para a domingo, o veterinário foi com os filhos ao aeroporto para receber os jogadores e esteve na porta do hotel do time. A presença garantida na semifinal fez alguns familiares deles no Brasil ficarem com inveja, já que Silvio será um dos pouquíssimos palmeirenses do mundo a ter a oportunidade de estar no estádio na semifinal. Praticamente isso só é possível para quem mora no Catar.

“A minha família no Brasil está animada que vou ser um dos poucos palmeirenses no estádio. Eles ficaram felizes demais com essa oportunidade, me pedem para eu tirar foto, para fazer live nas redes sociais, querem saber de tudo”, contou. A alegria contrasta com o frio na barriga. Na opinião dele, o jogo sera difícil. “O time está em uma maratona de jogos e ainda tem de se adaptar ao fuso horário de seis horas. Mas vamos torcer para dar certo. Quero também comprar ingresso para a final”, disse.