Contra Athletico-PR, Corinthians tenta se livrar de outro rival por Libertadores

O Corinthians tem mais um confronto direto na disputa por uma vaga à Copa Libertadores. Depois de derrotar o Ceará e assumir a oitava posição do Campeonato Brasileiro, com 48 pontos, o time terá pela frente o Athletico-PR nesta quarta-feira, às 21h30, na Neo Química Arena, em São Paulo, pela 35ª rodada. O adversário é o 11º na tabela, com dois pontos a menos.

“Sabemos, temos consciência de que vai ser o jogo mais importante neste momento. É a possibilidade de abrir ainda mais vantagem e, de repente, firmar de vez a oitava colocação”, analisou o lateral Fábio Santos.

O jogador admitiu que o Corinthians não tem conseguido manter o mesmo nível, apesar de estar disputando apenas uma competição no momento. Nos últimos cinco jogos do Brasileirão, o time alternou uma vitória e uma derrota. “Não podemos oscilar nesta partida e sabemos disso. É deixar a oscilação de lado. É confronto direto. Estamos focados nisso.”

O lateral também reconheceu que teve rendimento abaixo nas derrotas para Bahia e Red Bull Bragantino. “Fizemos cinco ou seis jogos seguidos com período curto de recuperação. Baixei um pouco nos dois últimos, não sei se foi a sequência. Tenho conversado com a comissão técnica. Eu me sinto melhor quando tenho semana livre para trabalhar. É tentar encaixar trabalhos à parte.”

Para a partida, o técnico Vagner Mancini ainda não poderá contar com o zagueiro Jemerson, com estiramento no joelho esquerdo, e Cazares, com estiramento no músculo posterior da coxa direita. A tendência é que o time seja o mesmo da vitória por 2 a 1 sobre o Ceará.

O meia Luan deve seguir na reserva de Araos. O diretor de futebol do Corinthians, Roberto de Andrade, não descartou a possibilidade de envolver o jogador em uma eventual troca.

“Às vezes um jogador que não jogou em tal clube chega no Corinthians e passa a jogar. Trocamos o Pato pelo Jadson (em 2014) e o Jadson foi um brilhante jogador no Corinthians, e ele estava encostado no São Paulo. Negócios como esse podem surgir no futebol”, analisou o dirigente corintiano.

O adversário desta noite tem como principal trunfo a força defensiva. Com a zaga comandada pelo ex-corintiano Pedro Henrique, o time é o menos vazado na competição ao lado do Internacional, com 31 gols sofridos. “É um dos melhores momentos da minha carreira. No Athletico consegui uma boa sequência. O Thiago Heleno também me passa muita segurança, é fácil jogar com ele”, comentou Pedro Henrique.