Cuca precisa romper ‘retranca’ do La Guaira para voltar sem pressão da Venezuela

Só uma vitória do Atlético-MG, nesta quarta-feira, às 19 horas (horário de Brasília), em Caracas, sobre o Deportivo La Guaira, pela primeira rodada do Grupo H da Copa Libertadores, vai tirar a pressão dos ombros do técnico Cuca, bastante criticado por parte da torcida do time mineiro, apesar de estar apenas um mês no cargo.

Cuca tem sido cobrado pelo desempenho fraco do Atlético, que, apesar do primeiro lugar na classificação do Campeonato Mineiro e do elenco de qualidade, somou derrotas para o rival Cruzeiro e para a modesta Caldense. Cuca pediu paciência aos torcedores e espera repetir o sucesso de 2013, quando garantiu o único título sul-americano do alvinegro mineiro.

O jogo é encarado como o mais fácil para a equipe brasileira na chave, que ainda conta com o paraguaio Cerro Porteño e o colombiano América de Cali. O problema vai ser a retranca armada pelo técnico Daniel Farias, que perdeu vários jogadores negociado com o futebol norte-americano.

Para tanto, Cuca conta com um “espião” no elenco atleticano. Trata-se do venezuelano Savarino, que já trabalhou com o Daniel Farias, em 2017, no Zulia. “O rival está estudado. Eles têm um jogo só (na temporada). Dentro desse jogo, a gente analisou o time deles, a forma que eles jogam. Tiramos informações. A gente tem o Savarino, que também é de lá”, disse o treinador atleticano, que não sabe se poderá contar com o atacante, ausente no jogo de fim de semana diante do Boa, pelo Campeonato Mineiro.

Atual campeão venezuelano, o La Guaira jogou pela última vez no dia 11, quando empatou sem gols com o Aragua, em casa, na rodada de abertura da liga nacional. “Deve faltar pra eles ritmo de jogo, mas com certeza vai ter uma gana enorme por estar representando o país num momento tão difícil como este que eles vivem lá também, a exemplo da gente aqui”, afirmou Cuca.

Expulso na final da última Libertadores, quando comandou o Santos contra o Palmeiras, Cuca não poderá dirigir o Atlético no banco de reservas, função que ficará com Cuquinha, seu irmão e assistente técnico. “Estamos melhorando a cada jogo e espero que a produção seja suficiente para conseguirmos esta importante vitória”, afirmou Cuca.

Ciente de que se trata da quarta força do grupo, o técnico Farias busca motivar seus jogadores. “Se pretendemos conseguir coisas importantes, temos de obter resultados grandes. Não há outra forma”, que conta com a liderança de Carlos Cermeño no meio de campo.