Diniz admite que São Paulo criou pouco e promete resposta no Brasileirão

Expulso ao fim do empate sem gols com o Grêmio, o técnico Fernando Diniz voltou a reclamar da arbitragem no confronto de quarta-feira, pelas semifinais da Copa do Brasil, mas reconheceu que o São Paulo pouco produziu ofensivamente para superar o adversário. O time necessitava triunfar por dois gols de vantagem após a derrota por 1 a 0, em Porto Alegre.

“Ao invés de sete minutos, ele deu três. Os times que não querem jogar são beneficiados pela arbitragem. No entanto, temos que ressaltar o adversário. O Grêmio teve méritos, marcou muito bem e a gente não conseguiu criar no jogo”, afirmou Diniz, que precisou ser contido após o duelo, quando protestou diante de Bruno Arleu de Araújo por considerar que houve pouco tempo de acréscimo no segundo tempo.

Ao São Paulo, com a queda na Copa do Brasil, resta o Campeonato Brasileiro para buscar uma taça nesta temporada. Mas a possibilidade é boa, afinal, o time está na liderança e com sete pontos de vantagem para Atlético-MG e Flamengo. E voltará a jogar pelo torneio em 6 de janeiro, quando visitará o Red Bull Bragantino. Diniz exibiu confiança na possibilidade do time dar uma resposta imediata à eliminação.

“Acredito na capacidade do time de responder positivamente. Vamos trabalhar forte para encarar todos os jogos como finais daqui pra frente no Campeonato Brasileiro”, disse. Vamos focar a disputa do Campeonato Brasileiro, porque é uma competição difícil e todos os jogos valem algo para as equipes. Temos que nos entregar ao máximo e dar o nosso melhor”, concluiu Diniz.

No empate sem gols com o Grêmio, o volante Luan deixou o campo aparentemente lesionado. Situação que não preocupa Diniz, que já não poderia escalá-lo diante do Bragantino, mas por suspensão. “O Luan já está fora do jogo contra o Bragantino, mas se ele tivesse que jogar estaria em condições. É um jogador muito importante para nós e contamos com ele para o restante da temporada”, disse.