Edgar Hubner confirma candidatura à Presidência Brasileira de Handebol

Membro da Comissão de Desenvolvimento da Federação Internacional de Handebol (IHF) e vice-presidente licenciado do Conselho de Administração da Confederação Brasileira de Handebol, Edgar Hubner, de 63 anos, confirmou nesta segunda-feira, dia 28, sua candidatura à presidência da Confederação Brasileira de Handebol (CBHb).  

Hubner tem até o momento ao seu lado, as federações de Mato Grosso do Sul (MS), Paraíba (PB), Piauí (PI), Rio de Janeiro (RJ), Rio Grande do Norte (RN), Rio Grande do Sul (RS), Santa Catarina (SC), e a Associação Beneficente Giuliano Esporte Clube (PI), membros do Colégio Eleitoral, bem como a comunidade esportiva no Brasil e no exterior. 

Sobre o futuro do handebol brasileiro, Hubner acredita que somente com a união de todos os segmentos da modalidade, e a partir de uma gestão compartilhada e transparente, será possível estabelecer uma nova era para o esporte.  

“Sinto-me muito motivado a encarar esse desafio e ajudar a modalidade que construiu minha carreira profissional a retomar o caminho do sucesso nacional e internacional”, destaca o dirigente. ¨O Brasil atualmente é o número 1 no handebol de praia no ranking da Federação Internacional de Handebol (IHF), com atletas, técnicos e árbitros reconhecidos no mundo. País campeão mundial adulto feminino, em 2013, e com atletas brasileiros jogando nas principais ligas masculinas e femininas do mundo, o Brasil encontra-se entre os 15 países no ranking da IHF, o que demonstra todo seu potencial”. 

Para evitar conflito de interesses e dar transparência ao processo eleitoral, Edgar Hubner apresentou, no mês de novembro, seu pedido de licenciamento da vice-presidência do Conselho de Administração da CBHb.   

“A maior contribuição que pudemos dar ao processo de Gestão e Transparência da CBHb foi durante o período em que estive na presidência do Conselho de Administração da CBHb, no qual conduzimos, junto com os demais membros do Conselho, o processo de inclusão total de atletas e clubes no Colégio Eleitoral da CBHb. Com a participação de 16 atletas e quatro clubes em sua Assembleia, com peso de voto igual aos demais integrantes, a CBHb se tornou modelo de participação para definir os destinos da modalidade. Garantimos a representatividade e igualdade de sexos entre o handebol de quadra e o handebol de praia, entre atletas ativos e inativos”, afirma.  

Segundo Edgar, a CBHb é a entidade que mais ampliou a participação de atletas e clubes entre as confederações brasileiras no seu Colégio Eleitoral. “Essa ampliação, que deve buscar a união de todos e de todas as regiões do Brasil, respeitando as necessidades individuais e particularidades de cada Federação, deve ter a participação de quem deseja o melhor para o handebol pois é um anseio de toda a comunidade esportiva”, completa Hubner.  

Com o desejo de contribuir, ouvir e unir os diferentes segmentos do handebol de quadra e handebol de praia, Edgar garante estar preparado para o desafio e disposto a retribuir com trabalho e empenho para a gestão do handebol brasileiro. A presidente da Federação de Handebol do Mato Grosso do Sul (FHMS) e ex-atleta da seleção brasileira de handebol, Andréia Albuquerque, enfatiza os motivos pelo qual a entidade apoia o candidato.  

“Apostamos na capacidade que o Edgar tem em reunificar as forças da modalidade, buscando o sucesso de todos. Além disso, entre suas principais virtudes estão seu poder de articulação e respeitabilidade nos órgãos que regem o esporte nacional e internacional. Somado a isso, tem a sua experiência em seu evento privado, a Internacional CUP, o qual provou ser um exímio gestor”, destaca Andréia, acrescentando: “sua passagem pelo COB o tornou uma referência para a modalidade e para o desporto escolar do Brasil. Com suas inúmeras qualidades, acreditamos estar credenciado a ser o presidente da CBHb para o próximo ciclo de quatro anos¨, diz a presidente da FHMS.  

O candidato  

Professor de formação, Edgar Hubner (CREF 0008-G/PR) foi atleta, árbitro de handebol e técnico da seleção brasileira masculina juvenil de handebol, além das seleções de Curitiba e do Paraná. Como dirigente, presidiu a Federação Paranaense de Handebol entre 1992 a 1994. A decisão de concorrer à presidência da CBHb partiu do apoio e incentivo de diferentes segmentos do handebol brasileiro, manifestados em reuniões com membros do Colégio Eleitoral e em carta aberta publicada no mês de dezembro.  

Formado em Educação Física (UFPr) e Fisioterapia (PUC-Pr), possui Licença Especial em Esportes pela Universidade Livre de Bruxelas e Master em Gestão Esportiva pelo Comitê Olímpico Internacional / Universidade de Poitiers (França). Também é membro do Conselho de Administração da Confederação Brasileira de Canoagem.  

Presidente do Comitê Organizador durante as 15 edições da Curitiba International Handball Cup, considerada pela IHF um dos cinco maiores torneios do mundo, Edgar Hubner foi diretor de lazer da Paraná Esportes e integrou o Comitê Olímpico do Brasil durante 13 anos, período em que foi diretor geral dos Jogos Escolares da Juventude e dos Jogos Universitários Brasileiros, por oito anos.  

Com participação nos Jogos Olímpicos de Atlanta 1996, Sidney 2000 e Atenas 2004, trabalhou pelo COB em três edições dos Jogos Olímpicos (2008, 2012, 2016), três Jogos Pan-Americanos (2007, 2011, e 2015) e dos Jogos Sul-Americanos. (2014), Jogos Sul-Americanos de Praia (2013) e Jogos Sul-Americanos da Juventude (2013). Ainda pelo Comitê Olímpico do Brasil esteve à frente de mais de 30 eventos internacionais de diferentes modalidades no Canadá, China, México, Peru e Tailândia.  

Ex-membro da Comissão Técnica da Organização Desportiva Sul-Americana, atuou como Assessor Internacional do Ministério de Esportes da Bolívia (2018) e foi diretor da cidade do Rio de Janeiro na Copa América de Futebol (2019).  

Co-autor do capítulo de handebol no livro Atlas do Esporte no Brasil e autor do livro “Mini-Handebol – 6 a 10 anos”, proferiu palestras na Argentina, Chile, Inglaterra, Malásia, Sérvia, abordando a gestão esportiva, esporte escolar e categorias de base, Hubner, entende ser fundamental o processo da formação / capacitação / por meio da criação de ferramentas e projetos visando a atingir, técnicos, dirigentes, árbitros e equipes multidisciplinares como forma de crescimento da modalidade.  

Da Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *