Em praia fechada, Muricy discute ao ser abordado por guarda em Bertioga

O coordenador de futebol do São Paulo, Muricy Ramalho, discutiu com fiscais da Guarda Municipal de Bertioga, no litoral paulista, no último domingo, ao ser abordado por eles na praia de Riviera de São Lourenço. As praias estão fechadas em função das restrições impostas em função da pandemia do coronavírus.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Muricy, que aparece sem máscara, alega que o decreto de fechamento das praias teria validade apenas a partir desta segunda-feira, data na qual o governo de São Paulo adotou ações mais restritivas.

No entanto, a Prefeitura de Bertioga adiantou as restrições de acesso, circulação e realização de atividades na areia, no calçadão das suas praias e no mar para o fim de semana, algo que Muricy afirmou não ter conhecimento.

“A Prefeitura de Bertioga realizou neste domingo (14), uma força-tarefa em Riviera e São Lourenço, para garantir o cumprimento do decreto municipal que determinou o fechamento das praias da Cidade. A operação contabilizou mais de 500 abordagens. O objetivo é frear o avanço do vírus e evitar o colapso no sistema de saúde”, afirmou a prefeitura, em nota oficial.

Muricy também se manifestou sobre o incidente em publicação no seu perfil no Instagram. Alegou que o decreto “foi antecipado e não avisado à população local”. Afirmou, ainda, que estava “sem máscara naquele momento para poder respirar melhor, já que o exercício faz esforço”.

As medidas da Fase Emergencial do Plano de São Paulo ampliaram as restrições e suspenderam, inclusive, a realização de eventos esportivos até o dia 30. Mas a Federação Paulista de Futebol espera convencer o Ministério Público a retirar a recomendação que impede a disputa de jogos no Estado.