Em preparação para Tóquio, seleção olímpica perde amistoso de virada para o Egito

Após quatro vitórias seguidas em amistosos de preparação para os Jogos de Tóquio, a seleção brasileira sofreu nesta terça-feira sua primeira derrota. Jogando no Cairo, caiu de virada, diante do Egito, por 2 a 1, em seu último teste em 2020.

Foi uma apresentação abaixo do esperado de Rodrygo, Matheus Cunha, David Neres e cia. Os comandados de André Jardine até começaram bem, mas caíram bastante de produção após a abertura do placar. Com erros de marcação, acabaram sofrendo a virada no segundo tempo.

O centroavante Matheus Cunha abriu o marcador logo com 16 minutos. Ele aproveitou o cruzamento de David Neres e fez, de cabeça. A bola já havia cruzado a linha, mas Rodrygo chegou a finalizar às redes no rebote.

Após abrir o placar rapidamente, a expectativa era de que o time pudesse repetir a boa atuação e a vitória do último sábado, quando fez 3 a 1 na Coreia do Sul, também no Estádio Internacional do Cairo.

Mas a história dessa vez foi diferente. O Brasil voltou para o segundo tempo dando bobeiras. Com erros individuais e falhas na marcação, rapidamente sofreu a virada. Logo com três minutos, os egípcios trocaram passes no ataque e, após inversão de jogada para a esquerda, o cruzamento preciso de Fouad acabou na cabeçada de Eleraky. A igualdade no placar empolgou os donos da casa.

Aos 11, após bobeira no meio-campo e bola perdida, o Egito chegou à virada. Contra-ataque rápido, Ahmed Rayan recebeu livre e bateu por entre as pernas de Daniel Fuzato. O goleiro salvaria o terceiro logo a seguir ao defender a boa finalização de Ammar Ahmed.

O placar adverso deixou os comandados de Jardine um tanto nervosos. A seleção até tentou buscar a igualdade, mas faltava capricho na hora de fazer o gol. Rodrygo balançou as redes, mas pelo lado de fora.

Com o resultado positivo, quem seguiu levando mais perigo e passando perto do gol foram os egípcios. Sempre em rápidos contragolpes. O placar não sofreu mais alterações, mas ficou uma lição para Jardine: terá de ajustar a marcação para amistosos futuros e, principalmente, a Olimpíada. Os egípcios chegaram com muita facilidade ao gol brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *