Ex-Ponte Preta, Índio cita ‘ameaças’ após acerto de contrato com o rival Guarani

O volante Bruno Rodrigues, conhecido como Índio, tomou uma decisão polêmica no futebol. Ele deixou a Ponte Preta após o término da Série B do Campeonato Brasileiro e acertou com o rival Guarani. A medida não foi muito bem aceita por alguns em Campinas (SP) e ele viu as consequências nas redes sociais.

“Sou adepto às redes sociais, mas em virtude da rivalidade eu desativei os comentários. Claro que eu queria receber o carinho da torcida do Guarani e já vi que muitas pessoas começaram a me seguir, a me acompanhar. Mas tem o lado ruim também. O pessoal da Ponte Preta ficou um pouco chateado e tem algumas pessoas que são mais maldosas e ameaçam, falam palavras que não são legais. Então eu preferi bloquear as redes sociais para não ver coisas desnecessárias”, revelou.

Ainda assim, o jogador de 28 anos se mostrou feliz pela escolha e fez questão de valorizar a conquista que todo torcedor do Guarani se orgulha de ter o título do Brasileirão de 1978.

“Escolhi o Guarani pelo peso da camisa. É o único campeão brasileiro do interior, então a tradição, o peso que tem fazer um bom campeonato aqui, isso com certeza fez a diferença na hora da escolha. E o desafio também, acredito ser o momento de encarar um desafio desse tamanho, isso me motivou”, disse Índio.

O Guarani, até aqui, fechou com oito reforços: o goleiro Rafael Martins, o lateral-direito Éder Sciola, os zagueiros Airton e Thalles, os volantes Índio e Rodrigo Andrade, o meia Tony e o atacante Júlio César.

“No meu último clube joguei de primeiro e segundo volante. Minha preferência é jogar como segundo volante, chegando no ataque. Gosto de ter a bola e fazer o time jogar, mas hoje o jogador precisa se adaptar o mais rápido possível ao esquema do treinador”, finalizou.

O Guarani está no Grupo D do Campeonato Paulista ao lado de Mirassol, Santos e São Caetano. A estreia será em 1.º de março contra o Ituano, em Campinas.