Ginastas de Toledo são convocadas para a Seleção Brasileira de GR

No meio de tanta notícia triste sempre há aquelas que nos enchem de orgulho e alegria. Neste sentido, a Ginástica Rítmica de Toledo sempre nos oferece os melhores motivos para comemorar e vibrar. Desta vez, não foi diferente, três ginastas da Associação Toledana de Ginástica Rítmica (Agito) foram convocadas para integrar a Seleção Brasileira Juvenil, de forma transitória, que representará o Brasil no Campeonato Panamericano Juvenil de Ginástica Rítmica a ser realizado em Junho, na Guatemala. 

Maria Eduarda Alexandre na categoria individual; Alana Carolayne da Silva e Fernanda Heinemann na modalidade Conjunto.

Maria Eduarda continuará seus treinos em Toledo, já Alana e Fernanda, como irão integrar a série de Conjunto embarcam para Aracaju (SE) e ficam lá até as competições do Panamericano. 

Familiares, professores, amigos e outras ginastas estão eufóricos com a notícia. Esse é o momento de avaliar todo o trabalho realizado e focar em tudo o que há pela frente. 

A secretária de Esportes, Marli Gonçalves Costa, mencionou que essa convocação demonstra o trabalho realizado pela Associação Toledana de Ginástica, com apoio e suporte da Secretaria de Esportes e Lazer. “É realizado um trabalho sequencial e de qualidade durante vários anos. Elas estão de parabéns! O município é responsável pela estrutura física do ginásio onde acontece a GR, com toda a estrutura de manutenção, limpeza e segurança. No Centro Olímpico, onde também é outro polo que a ginástica acontece, além de profissionais da Secretaria de Esportes e Lazer. É um orgulho para nós receber notícias como estas”, exalta Marli. 

Professora

A professora Solange da Silva Martins Paludo trabalha com GR há 23 anos, já colocou muitas ginastas na seleção e vinha trabalhando com esse grupo há 5 anos. Ela está vivenciando um misto de sentimentos, a felicidade pela convocação e as incertezas em função da falta de patrocínios.  

“Eu estava no sul-americano infantil com elas em 2019 quando ficamos sem contrato. Desde então venho trabalhando, dependendo de promoções dos pais. Isso nos deixa bem inseguras. Por isso esse misto de emoção. E agora as responsabilidades dobram, afinal vamos representar o Brasil. Paramos 15 dias por causa da pandemia, mas também por falta de recursos. Não sabemos quando voltamos ao ritmo normal”, relata a professora Solange. 

A Confederação Brasileira de Ginástica dará suporte com os custos da competição das atletas convocadas, o que não afasta as preocupações com o projeto local. “Estou muito feliz porque é um trabalho lindo e sério, muito competente. Trabalhamos para isso. Mas temos muitas meninas para preparar e serem as próximas a entrarem na seleção também. As pequenas se enchem de esperança em cada momento como este”

Diretoria

A presidente da Associação Toledana de Ginástica Rítmica (AGITO), Cristina Salvador Weissheimer, reiterou que toda a parte administrativa, de gestão e captação de recursos, desde fazer os projetos para captação de recursos, até eventos para arrecadação de dinheiro é de responsabilidade da diretoria, composta por pais que não recebem para realizar esse trabalho. 

“Não temos dinheiro para pagar um gestor e nem patrocinador para custear as despesas.  Nós que corremos atrás da prefeitura, das empresas, pois o custo do projeto é alto pela quantidade de meninas que atendemos. Nossos profissionais estão entre os melhores do Brasil, tanto que de 14 meninas selecionadas ao Pan, 3 são nossas”, salientou a presidente. 

O amor é a maior recompensa atribuída aos envolvidos. Somente do alto rendimento são atendidas cerca de 80 meninas. As escolinhas, quando estão  funcionando, chegam a atender 500 alunas. 

“Para uma sociedade que espera uma cidade melhor, o esporte é sem dúvidas, uma das principais portas para a inclusão e diminuição da criminalidade.  Nossas meninas são diferentes,  aprendem valores positivos diariamente,  têm a oportunidade de ser não somente uma atleta profissional, mas um ser humano melhor. Têm responsabilidades desde cedo. Algumas só têm o projeto como oportunidade de um futuro melhor”, avaliou a presidente Cristina Salvador.

Ela se emociona ao falar do projeto. “Ele tem alma, tem vida e se não fosse tão importante já teríamos deixado fechar. Mas não podemos fazer isso, são as nossas crianças que estão lá. Temos alguns projetos públicos em andamento e todos os meses os pais fazem um evento diferente para manter as despesas. Nossos técnicos se adaptaram com salários menores até que esses recursos sejam liberados”, desabafou Cristina. 

Foto: Divulgação

Da Prefeitura de Toledo-PR