Ginástica Artística Feminina: seleção treina no Rio até quarta

Até quarta-feira (10), 11 das principais atletas de ginástica artística feminina do Brasil estão reunidas no Rio de Janeiro para um estágio, no Centro de Treinamento Time Brasil. A confirmação de que o Campeonato Pan-Americano da modalidade será realizado no país, no mês de junho, motivou ainda mais as atletas na luta pela conquista de vagas olímpicas. “Os benefícios que teremos são muito significativos. Não teremos o desgaste natural de viajar ao exterior. Se tivéssemos que viajar para outro país, a logística seria diferente. Poderemos treinar aqui tranquilamente, sem necessidade de fazer aclimatação e sem sofrer o desgaste de uma viagem”, diz Francisco Porath, treinador da Seleção de Ginástica Artística Feminina.

Segundo Porath, o período de treinos, que começou no dia 30 de janeiro, está funcionando também como preparação para a aplicação dos protocolos de segurança quanto à covid-19. “Estamos tendo a oportunidade de aplicar os protocolos de segurança. A delegação se submeteu a testes RT-PCR antes da viagem e no dia da chegada ao CT. Encontramos um laboratório que fornece os resultados dos exames no mesmo dia”. As ginastas da Seleção e também as do Grupo de Controle, formado por atletas juvenis e adultas, estão passando por avaliações detalhadas. “Temos exames antropométricos e controles feitos por fisioterapeutas e por médicos, que monitoram qualquer risco de lesão. Teremos traçado o perfil individual de cada ginasta, para sabermos o que poderemos exigir de cada uma delas nos treinamentos”, afirma o treinador.

Como vários eventos foram cancelados em decorrência da pandemia, a seleção tem prevista a participação na etapa da Copa do Mundo por aparelhos de Doha, no Catar, de 10 a 13 de março e no Campeonato Sul-Americano, ainda pendente de confirmação, com data prevista para ocorrer entre os 7 e 12 abril em San Juan, na Argentina. De acordo com Porath, “o saldo de 2020 é muito bom, diante das circunstâncias. As ginastas se mantiveram ativas durante o período de isolamento social mais restrito graças aos treinamentos realizados com suporte da internet. Depois pudemos levar seis atletas para a Missão Europa, e as demais se mantiveram em forma graças aos treinamentos virtuais. Claro que houve alguma perda técnica e física, mas nenhuma atleta desistiu do esporte por falta de motivação, o que poderia ter acontecido. Agora é colocar as ginastas em excelente forma e ir disputar essas vagas olímpicas”. 

As ginastas convocadas para os treinos são: Ana Luiza Pires Lima (CEGIN/PR), Camila Siqueira Almeida (Minas Tênis Clube/MG), Carolyne Mercer Winche Pedro (CEGIN/PR), Christal Silva e Bezerra (Centro Olímpico/SP), Flávia Lopes Saraiva (Flamengo/RJ), Isabel de Almeida Barbosa (Pinheiros/SP), Jade Fernandes Barbosa (Flamengo/RJ), Júlia das Neves B. Soares (CEGIN/PR), Lorrane dos Santos Oliveira (Flamengo/RJ), Rebeca Rodrigues de Andrade (Flamengo/RJ) e Thaís Fidélis dos Santos (Pinheiros/SP).

Da Agência Brasil