Governo de Tóquio cancela revezamento da tocha olímpica nas ruas da cidade

O governo metropolitano de Tóquio e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 anunciaram nesta quarta-feira o cancelamento do revezamento da tocha olímpica nas ruas da cidade, que deveria acontecer ao longo de 15 dias. O objetivo é evitar aglomerações, em meio ao aumento dos contágios pelo novo coronavírus na capital japonesa.

Tóquio registra há 17 dias seguidos um crescimento de infectados pela covid-19. A média móvel de casos diários chegou a 586 nesta terça-feira. A pandemia do novo coronavírus já infectou 808 mil e matou 14.812 pessoas no Japão, de acordo com números divulgados pela Universidade John Hopkins, dos Estados Unidos.

Desde a semana passada já era conhecida a decisão das autoridades de tirar a primeira parte do revezamento da tocha olímpica na capital do Japão das vias públicas. O deslocamento, que começará nesta sexta-feira na cidade, acontecerá principalmente em cerimônias sem a presença de público durante os oito primeiros dias de sua passagem por Tóquio para obedecer as medidas de luta contra a covid-19, de acordo com Koichi Osakabe, funcionário do governo da cidade. Os Jogos Olímpicos acontecerão de 23 de julho a 8 de agosto.

“Nós teremos uma cerimônia a cada dia no local em que terminar o revezamento (previsto) da jornada”, explicou Osakabe na semana passada, antes de acrescentar que quase 100 corredores por dia serão afetados pela mudança no programa. As alterações afetam sobretudo os trechos do revezamento situados fora dos 23 distritos centrais de Tóquio.

O Japão não sofreu os surtos de vírus explosivos vistos em outras partes do mundo, mas só recentemente emergiu de uma quarta onda de infecções. Um declínio no ritmo de surgimento de casos novos e uma aceleração na vacinação levaram as autoridades a amenizar um estado de emergência em Tóquio e outros oito municípios no último dia 20.

Mas com a aproximação da Olimpíada, especialistas temem um novo aumento de casos em Tóquio e a disseminação de variantes mais altamente transmissíveis, como a Delta (indiana). Os Jogos também enfrentam a resistência de uma parcela substancial do público.

A pouco mais de duas semanas da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, a sombra da pandemia afeta o grande evento esportivo mundial. Dois membros da delegação olímpica de Uganda e um da Sérvia testaram positivo para covid-19 em sua chegada a Tóquio este mês, o que provocou a adoção de normas ainda mais rígidas para as equipes que desembarcam no Japão.