Hall da Fama, Grant Hill assumirá cargo na seleção dos EUA após a Olimpíada

Principal equipe da modalidade, a seleção dos Estados Unidos anunciou, neste sábado, um novo reforço para ajudar fora das quadras. Grant Hill, ex-jogador do time nacional e da NBA, assumirá o cargo de diretor de gerenciamento da equipe masculina depois dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. Ele irá substituir Jerry Colangelo, que irá se aposentar e cuja função é de auxiliar na montagem de elencos que vão em busca das medalhas de ouro.

A troca ocorre em um movimento onde os Estados Unidos substituem um jogador do Hall da Fama do Basquete por outro. Pela seleção nacional, Hill participou da conquista da medalha de ouro em 1996, em Atlanta. Em 2000, também teria repetido o feito, se não fosse uma lesão que o tirou da Olimpíada de Sydney, na Austrália. Além disso, um marco relevante na carreira foi que em 1992, Hill fez parte de um time universitário que venceu o primeiro “Dream Team” em uma preparação para os Jogos daquele ano, em Barcelona, na Espanha.

“Isto é uma grande oportunidade e também um grande desafio”, disse Hill neste sábado. “Eu tenho um grande currículo em se tratando de competições internacionais, os Jogos Pan-Americanos e as Olimpíadas, evidentemente. Eu tenho sido um fã da seleção dos Estados Unidos desde 1984, quando foi a primeira vez que me apaixonei por basquete”, contou.

O novo diretor ainda se mostrou bem ansioso para sua nova e importante tarefa. “Quanto mais eu penso nisso, mais intrigado, mais excitado e mais esforçado eu me sinto para arregaçar as mangas e seguir em frente com esta responsabilidade incrível”.

A carreira de Hill é de se invejar. Ele jogou 19 temporadas na NBA, tendo sido All-Star em sete oportunidades, o que teria sido bem mais se não fossem seus constantes problemas de lesão. Também apareceu cinco vezes no “time ideal” da liga. Na Universidade de Duke, foi campeão nacional em 1991 e 1992.

Hoje aos 48 anos, Hill entrou para o Hall da Fama do Basquete em 2018 e tem trabalhado como analista tanto de NBA como de basquete colegial para uma emissora americana há quase 10 anos, função que continuará exercendo mesmo após assumir o comando deixado por Colangelo.