Heptacampeão da F-1, Hamilton promete seguir lutando por mundo ‘mais igualitário’

Agora dono de sete títulos da Fórmula 1, igualando-se a Michael Schumacher, Lewis Hamilton assegurou que vai continuar sua luta em busca de um mundo mais diversificado e inclusivo. Após a vitória no GP da Turquia, que o consagrou como heptacampeão, o piloto da Mercedes disse que quer aproveitar os holofotes voltados para ele para seguir na briga por mais igualdade no esporte e no mundo.

Em um ano marcado pelo movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) e pela intensa discussão sobre ações afirmativas, Hamilton teve papel bastante relevante ao levar a preocupação com o racismo à principal categoria mundial do automobilismo. Mesmo com a ameaça de represálias, o único piloto negro da história da Fórmula 1 não se intimidou e reafirmou sua postura antirracista, tornando-se referência do movimento.

“Este ano fui impulsionado não apenas pelo meu desejo de vencer nas pistas, mas por um desejo de ajudar a impulsionar nosso esporte e nosso mundo a se tornar mais diversificado e inclusivo. Eu prometo que não vou parar de lutar por mudanças. Temos um longo caminho a percorrer, mas vou continuar a lutar pela igualdade em nosso esporte e no mundo em que vivemos”, prometeu o heptacampeão mundial e recordista de vitórias na Fórmula 1, com 94 triunfos.

Referência na luta contra a discriminação racial, Hamilton reforçou que quer usar sua visibilidade como um dos maiores pilotos da história para provocar mudanças no esporte e na sociedade. O britânico, ídolo também fora das pistas, ressaltou que, durante o período de inatividade pela pandemia, passou a refletir sobre seu “propósito” como cidadão e esportista.

“Antes de hoje e mesmo depois de cruzar a linha, estava pensando o que é mais importante para mim. Este ano foi tão imprevisível. Com a pandemia e, obviamente, a temporada sendo adiada por vários meses, eu passei pelo maior tempo de inatividade que já tive na minha vida. Isso me deu a chance de realmente pensar sobre meu propósito. Sete campeonatos mundiais significam muito para mim, nem consigo descrever o quanto, mas há outra corrida que ainda não vencemos”, salientou.

“Igualar o recorde de Michael Schumacher coloca em mim um holofote que sei que não estará aqui para sempre. Então, enquanto você está aqui, prestando atenção, gostaria de pedir a todos que façam sua parte para ajudar a criar um mundo mais igualitário. Vamos ser mais receptivos e gentis uns com os outros. Vamos fazer com que a oportunidade não dependa de onde você veio ou da cor da pele”, acrescentou, em relato em suas redes sociais.

Sobre o desempenho nas pistas, Hamilton garantiu que está motivado a permanecer no topo e melhorar ainda mais a sua performance em 2021. Também afirmou que está em “ótima forma”. “Sinto que estou só começando”, pontuou. Seu contrato vence ao final desta temporada, mas ele indicou que vai renovar com a Mercedes.

“Esse ano foi um desafio que eu não sabia como encarar, mas com a ajuda de todos que me cercam eu consegui colocar a cabeça para fora da água e me manter focado. Tenho esperança de ser ainda melhor ano que vem, quero ficar. Sinto que temos muito trabalho a fazer ainda. Quero ajudar a Fórmula 1, quero ajudar a Mercedes nessa jornada”, declarou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *