Ifab aprova testes para substituições extras no futebol em caso de concussão

A International Football Association Board (Ifab, na sigla em inglês) aprovou nesta quarta-feira a realização de testes para avaliar substituições extras durante os jogos em caso de concussão de jogadores. Choques e pancadas de cabeça se tornaram uma preocupação no futebol nos últimos anos.

Após reunião, a Ifab disse que os “testes extensivos” serão permitidos com o seguinte critério: “em caso de dúvida, o jogador é retirado” de campo. Anteriormente, Associação de Futebol (FA), que é a federação de futebol da Inglaterra, disse anteriormente que poderia usar esta nova regra em jogos masculinos e femininos da Copa da Inglaterra, no próximo mês.

Pelo teste aprovado pela Ifab a substituição será extra, além das cinco permitidas atualmente, em caso de concussão. E o jogador trocado não poderá voltar ao campo, mesmo se apresentar melhora. O objetivo é não incentivar a ideia de manter em campo um atleta mesmo após sofrer uma concussão.

“Os membros concordaram que, no caso de uma concussão real ou suspeita, o jogador em questão deve ser removido permanentemente da partida para proteger seu bem-estar, mas a equipe do jogador não deve ficar em desvantagem”, afirmou a Ifab em comunicado.

Ainda nesta quarta, a mesma entidade aprovou que as competições sigam utilizando as cinco substituições nos jogos. A regra usual é de apenas três trocas, mas a Ifab autorizou mais duas devido à pandemia de covid-19. Isso porque a nova doença paralisou campeonatos, que precisaram compactar seus calendários na retomada dos jogos, o que causa mais lesões e pressão sobre o preparo físico dos atletas.

No entanto, a permissão por cinco substituições tem prazo para acabar. No caso de competições nacionais, as duas trocas extras serão permitidas até 31 de dezembro de 2021. Em relação a torneios internacionais, serão liberadas até 31 de julho de 2022.