Juiz relata ofensas de dirigentes do Fla durante jogo com o Santos, mas Braz nega

O árbitro Paulo Roberto Alves Junior relatou na súmula do jogo entre Flamengo e Santos, vencido pelo clube carioca por 4 a 1, ter sido ofendido por dirigentes da equipe mandante do confronto disputado no Maracanã, no último domingo. O presidente Rodolfo Landim, o vice-presidente de futebol, Marcos Braz, e o diretor de relações externas, Cacau Cotta, foram citados pelo juiz no documento.

“Aos 35 minutos do 1º tempo, a equipe de arbitragem ouviu insultos vindos da arquibancada, na área onde se encontravam os seguintes dirigentes da equipe do C.R. Flamengo: Sr. Rodolfo Landim, Sr. Marcos Braz e Sr. Cacau Cotta, havia outros dirigentes, os quais não foi possível identificar. Foram proferidas as seguintes palavras: ‘Tá de sacanagem’, ‘Foi falta, seu arrombado’, ‘Apita essa p… direito, filho da p…'”, escreveu.

Braz negou o ato, assegurando que nem estava ao lado dos dirigentes citado na súmula por Paulo Roberto. “Infelizmente me confundiram no estádio. Não assisto os jogos com os companheiros de diretoria que foram relatados na súmula. E claro, não vou ‘dedurar’ o diretor que tem um berro invejável”, publicou, em seu perfil no Twitter.

O comportamento dos dirigentes flamenguistas foi, inclusive, alvo de reclamações do técnico santista Cuca durante o duelo. E foi possível ouvir as manifestações dos dirigentes do gramado porque o clube, nos últimos jogos, optou por não colocar cânticos da torcida no alto-falante dos jogos em que o time é mandante no Maracanã.

As ofensas podem provocar punições aos dirigentes do Flamengo, que chegou aos 45 pontos com a goleada, em terceiro lugar no Brasileirão e a cinco do líder São Paulo, que disputou um jogo a mais.