Juventude vence a Ponte Preta de virada e sobe para o terceiro lugar na Série B

O Juventude levou a melhor no importante duelo na briga pelo acesso com a Ponte Preta, disputado nesta quarta-feira, no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, pela 32.ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. De virada, o time gaúcho superou o paulista por 2 a 1, e de quebra ainda ganhou uma posição dentro do G4, a zona de acesso. Com 52 pontos, ocupa a terceira posição, superando o Cuiabá, com 51.

Enquanto isso na frente e quase na elite em 2021, estão o América-MG com 60 e a Chapecoense com 62 pontos. A derrotada Ponte Preta vê mais longe o sonho de chegar ao G4, permanecendo com 46 pontos, em sétimo lugar.

Podendo ser decisivo para decidir o acesso, o jogo começou amarrado, com muito estudo e cuidados dos dois lados. Mesmo em casa, o Juventude se posicionou um pouco mais atrás, como que a tentar atrair o visitante, armado com três atacantes: Bruno Rodrigues, Matheus Peixoto e Luan Dias. Além disso, ganhou uma baixa de última hora: o polivalente Apodi, com dores de garganta, foi desfalque.

Os principais lances do primeiro tempo aconteceram nos minutos finais. Aos 37, Camilo cobrou falta, encobriu a barreira e a bola passou perto da trave direita de Marcelo Carné. O Juventude respondeu em um lance quase acidental.

Rogério desceu em velocidade e quase em cima da linha de fundo tentou cruzar, mas a bola seguiu em direção ao gol e Ygor Vinhas precisou dar um passo atrás para salvar aos 41 minutos. E assustou já nos acréscimos, aos 48, quando do lado esquerdo saiu o passe de Eltinho e Capixaba deu de calcanhar, mas a bola saiu pelo lado.

No intervalo, Pintado voltou com três trocas no Juventude. Entraram Neto, Everton e Rafael Grampola, respectivamente, nos lugares de Renato Cajá, Gustavo Bochecha e Roberto. Mas quem saiu na frente foi a Ponte Preta, aos cinco minutos. Após escanteio de Camilo, a bola passou por Luan Dias e do outro lado sobrou para Barreto completar com o pé direito.

A reação gaúcha foi rápida, aos sete, dois minutos depois. Rogério recebeu de costas na linha da grande área e surpreendeu com um bicicleta. O goleiro Ygor Vinhas, encoberto, demorou para ir na bola, que entrou no canto esquerdo. Um golaço muito comemorado.

O jogo seguiu movimentado e aberto. O Juventude virou o placar aos 31 minutos, em um contra-ataque pelo lado esquerdo. O cruzamento saiu alto e Rafael Grampola apareceu sozinho na segunda trave, sem qualquer marcação. Ele cabeceou e o goleiro Ygor Vinhas também demorou para se recompor. A bola bateu em suas mãos e entrou. A Ponte ainda tentou pressionar nos últimos minutos, mas naquela altura, o Juventude já estava com sua marcação bem organizada e não saiu para correr risco.

Os times, agora, só voltam a campo em 5 de janeiro. O Juventude vai enfrentar o Cuiabá, na Arena Pantanal, enquanto a Ponte Preta fará o dérbi campineiro diante do Guarani, no estádio do rival, o Brinco de Ouro.

FICHA TÉCNICA

JUVENTUDE 2 X 1 PONTE PRETA

JUVENTUDE – Marcelo Carné; Luís Ricardo, Wellington, Emerson Silva (Bareiro) e Eltinho; João Paulo, Gustavo Bochecha (Everton) e Renato Cajá (Neto); Capixaba, Rogério (Matheuzinho) e Roberto (Rafael Grampola). Técnico: Pintado.

PONTE PRETA – Ygor Vinhas; Léo Pereira, Luizão, Wellington Carvalho e Guilherme Lazaroni; Barreto (Tiago Orobó), Vinícius Zanocelo (Neto Moura) e Camilo (Moisés); Luan Dias (Guilherme Pato), Matheus Peixoto (Bruno Reis) e Bruno Rodrigues. Técnico: Fabinho Moreno.

GOLS – Barreto, aos cinco, Rogério, aos sete, e Rafael Grampola, aos 31 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Ronei Cândido Alves (MG).

CARTÕES AMARELOS – Wellington e Eltinho (Juventude); Léo Pereira, Luizão, Wellington Carvalho, Guilherme Lazaroni, Tiago Orobó, Luan Dias e Bruno Rodrigues (Ponte Preta).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul (RS).