Lenda do esqui norueguês e bicampeão olímpico é condenado a sete meses de prisão

Petter Northug, ex-esquiador e lenda do esporte norueguês, foi condenado, nesta segunda-feira, por um tribunal de Oslo, capital da Noruega, a sete meses de prisão incondicional e a perda da carteira de habilitação por toda a vida. Bicampeão olímpico, Northug, de 34 anos, sofreu a punição após vários casos de condução imprudente e posse de drogas.

Foi comprovado que o ex-atleta violou os limites de velocidade quatro vezes (chegou a dirigir a 221 quilômetros por hora em uma zona de 80), fez ultrapassagens perigosas e depois compartilhou os vídeos

com vários amigos. Além disso, foi encontrada em sua casa cocaína e outras substâncias dopantes.

Northug foi preso em agosto por dirigir a 168 quilômetros por hora em uma área onde o máximo era 110, em uma região próxima ao aeroporto de Oslo. “Tenho um problema sério com álcool, drogas e comprimidos. Eu não levei isso a sério, eu neguei e escondi de mim e de pessoas próximas. Agora as consequências são muito graves”, disse Northug, em entrevista coletiva.

O problema com as drogas, segundo o norueguês, surgiu após sua aposentadoria em 2018 devido a problemas físicos, o que o levou a ter a necessidade de buscar “emoções intensas” para substituir a competição.

Petter Northug é uma das principais figuras do esqui cross-country, modalidade muito popular na Noruega. Ele conquistou 13 medalhas de ouro e três de prata em Copas do Mundo, além de quatro pódios olímpicos. Foi ouro nos 50 quilômetros e sprint por equipes nos Jogos de Vancouver 2010, onde também obteve uma prata e um bronze.