Marquinhos lamenta baixas na seleção e pede atenção especial com Cavani e Suárez

O Brasil enfrenta o Uruguai na terça-feira, às 20 horas, em Montevidéu, pela quarta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo. Escolhido para a coletiva deste domingo, o zagueiro Marquinhos alertou para a necessidade de atenção especial na marcação de Cavani e Suárez, as duas estrelas da equipe adversária.

“São duas feras do futebol, a gente sabe o quanto já proporcionaram para a seleção uruguaia e para o futebol, já vi de perto o que esses dois podem fazer juntos. Tem que estar ligado, jogar com muito cuidado, muita excelência. Sempre trabalhando e focando. Focamos no coletivo bastante, como anular esse jogadores coletivamente antes de individualmente”, apontou o defensor.

Marquinhos foi companheiro de Cavani por várias temporadas no Paris Saint-Germain e elogiou o atacante, hoje no Manchester United, que é “muito decisivo” e precisa de poucas chances para marcar.

“Para mim foi muito bom trabalhar com Cavani. Era um centroavante que nos treinos sempre tinha o “um contra um”, tinha que prestar bastante atenção no que ele faria, era muito bom. Sempre tentava anular. Cavani é um tipo de jogador que é muito decisivo, que se doa muito para o time, o que ele faz pela seleção é impressionante, joga em todos os lados do campo e se doa ao máximo em campo. É muito perigoso dentro da área, temos que estar 100% focados, pois no mínimo erro ele vai aproveitar e marcar gol”, analisou.

Neste domingo, dia de eleições municipais no País, Marquinhos, questionado sobre qual pedido faria aos políticos eleitos, disse que, na sua visão, as prioridades são políticas públicas voltadas para a educação e saúde, mas que também é necessário dar atenção ao esporte, agente de transformação social.

“Com certeza meu primeiro pedido seria a educação e a saúde em primeiro lugar. Mas também que nossos prefeitos incentivem bastante o esporte, não só o futebol, todos os esportes. A gente sabe que é importante, graças a isso crianças saem das ruas, da criminalidade. Que haja investimento em todos os esportes e que foquem na educação e saúde como um todo”, opinou o zagueiro do PSG.

Depois de vencer a Venezuela na última sexta-feira, por 1 a 0, a seleção brasileira enfrenta o Uruguai com mais mudanças no elenco. Guilherme Arana e Thiago Galhardo foram convocados. Pedro foi cortado, com lesão muscular, e Alex Telles voltou a ser testar positivo para a covid-19 mais de 15 dias depois de ser diagnosticado com a doença enquanto estava treinando no Manchester United. O lateral-esquerdo passará por um novo exame e, se o resultado for positivo, será o nono jogador desconvocado. Além dos citados, a lista de desfalques tem Neymar, Philippe Coutinho, Fabinho, Casemiro, Eder Militão, Rodrigo Caio e Gabriel Menino.

“A gente está vivendo uma temporada atípica em relação a todas que já participamos antes. O calendário está muito puxado, estamos tendo muitas lesões e a pandemia também vem atrapalhando a convocação e os clubes também. Temos que estar atentos. Vamos tentar seguir nosso padrão, a seleção é sempre muito bem servida de muitos jogadores. Os desconvocados procuraram fazer um excelente trabalho, o Tite nos pede bastante para nos prepararmos todos da melhor maneira possível. Fazer bom trabalho e manter padrão. Os que entraram tentam aproveitar as oportunidades”, concluiu Marquinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *