Melo volta ao Brasil para recarregar energia com foco em Wimbledon e Tóquio-2020

A pandemia do novo coronavírus vem mexendo com a rotina de todos. Com o mineiro Marcelo Melo, não tem sido diferente. Para se adequar ao calendário e todos os protocolos de jogar em meio aos desafios do novo coronavírus, o tenista brasileiro está viajando há 23 semanas seguidas, desde a pré-temporada de 2021. Foram nada menos do que 10 países e 12 cidades diferentes, com mais de 100 testes de covid-19 realizados ao longo destes seis primeiros meses do ano.

Tudo isso fez Melo decidir por um retorno ao Brasil nesta semana, para recarregar as energias, com foco em Wimbledon e nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020.

“Decidi readequar o calendário e passar alguns dias em Belo Horizonte para voltar com tudo na grama. São muitas semanas seguidas viajando, muitos testes, com um desgaste mental que vem se acumulando. Não lembro de quando viajei tanto assim na minha carreira sem voltar ao Brasil. Com isso, não vou jogar o ATP 250 de Stuttgart, na próxima semana, aproveitando essa pausa para recarregar as energias”, explicou Melo.

Nesta semana, Melo e o polonês Lukasz Kubot disputaram Roland Garros, fazendo o primeiro jogo do retorno da parceria no Grand Slam, na capital francesa. De Paris, onde foi eliminado logo na primeira rodada, o brasileiro seguiu para Belo Horizonte. E, após esta pausa, retorna para a Europa para a sequência na temporada de grama.

Wimbledon terá início no dia 28 deste mês. Em julho, além do Grand Slam em Londres, na Inglaterra, as atenções se voltam para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, no Japão, em que estará representando o Brasil ao lado do também mineiro Bruno Soares, em busca de uma inédita medalha.

MARATONA DE VIAGENS – Ao longo desses meses, foram testes, quarentenas, o convívio em “bolhas” reunindo somente os envolvidos nas disputas, tudo para seguir com o circuito na pandemia. Após passar alguns dias de dezembro de 2020 com a família, Melo não voltou mais ao Brasil. Iniciou uma maratona de viagens e torneios em 2021, que começou com a sequência da pré-temporada em Montecarlo, no Principado de Mônaco – onde esteve outras vezes para treinos e para o Masters 1000 -, passando também por Austrália (Melbourne), Holanda (Roterdã), Catar (Doha), Emirados Árabes Unidos (Dubai), Estados Unidos (Miami), Alemanha (Munique), Espanha (Madri e Barcelona), Itália (Roma e Cagliari) e França (Paris).

No ranking mundial individual de duplas divulgado na última segunda-feira pela ATP, Melo está em 18.º lugar, com 5.280 pontos. Kubot aparece em 17.º, com 5.310.