Neymar marca, dá assistência e comanda vitória que coloca PSG no topo do Francês

Com gol e assistência, Neymar comandou a vitória por 2 a 1 do Paris Saint-Germain sobre o Lens neste sábado. O triunfo em casa, no Parque dos Príncipes, deixou o time parisiense na liderança provisória do Campeonato Francês e pressiona o Lille, que precisa vencer para retomar o topo. Marquinhos também foi às redes, e Ganago fez o de honra dos visitantes.

O PSG tem 75 pontos e ultrapassou o Lille, que soma 73 e tem de vencer o Nice neste sábado para retomar a primeira colocação. Em busca do quarto título nacional seguido, a equipe de Mauricio Pochettino seca o rival nesta reta final da liga francesa, que terá apenas mais três rodadas. O Lens faz boa campanha e ocupa o quinto lugar, com 56 pontos.

Dias antes da decisão na Liga dos Campeões, o PSG contou com o talento de Neymar para sair de campo com a vitória. O brasileiro, que vive uma de suas temporadas menos goleadoras, chamou a responsabilidade e comandou o triunfo no Parque dos Príncipes. Em lance de oportunismo, ele abriu o placar aos 32 minutos do primeiro tempo e cobrou escanteio na medida para Marquinhos ampliar no início da segunda etapa.

O camisa 10 se movimentou bastante e criou outras oportunidades de gol que seus companheiros não aproveitaram. Também passou perto de marcar o segundo dele no jogo ao acertar a trave em cobrança de falta. Aos 15 do segundo tempo, Ganago marcou o gol do Lens que poderia colocar fogo no jogo, mas não pôs porque o PSG administrou bem o resultado até o apito final.

Das tribunas, ao lado do argentino Paredes, Mbappé assistiu à vitória de sua equipe. O atacante francês corre contra o tempo para se recuperar de lesão e estar à disposição para enfrentar o Manchester City, terça-feira, pelo jogo de volta das semifinais da Liga dos Campeões.

O clube francês vai precisar de Mbappé e de um Neymar inspirado como neste sábado para reverter o resultado do jogo de ida para se classificar à final. Como perdeu por 2 a 1 em casa, o time de Paris viaja à Inglaterra com a missão de ter de vencer por ao menos dois gols de diferença para chegar à decisão e se manter na briga pelo título inédito da principal competição de clubes da Europa.