Oscilante, Fluminense aposta em time alternativo no Recife para enfrentar o Sport

O torcedor esperava que o Fluminense emplacasse uma boa sequência após a vitória sobre o rival Flamengo, mas viu o time empatar no jogo seguinte, contra o Ceará. Agora, sem sinais de desilusão apesar da oscilação, a equipe tricolor vai ter que se virar com uma escalação alternativa na Ilha do Retiro, onde enfrenta o Sport neste sábado, às 19 horas, em jogo válido pela 11ª rodada do Brasileirão.

Com o time tricolor em 11º lugar, com 14 pontos somados, o técnico Roger Machado resolveu dar preferência à partida da próxima terça-feira, contra o Cerro Porteño, no Paraguai, pela rodada de ida das oitavas de final da Copa Libertadores. Por isso, ele tomou a decisão de poupar titulares no Recife.

“Não tem muito o que fazer. É fazer essas escolhas. Não gosto de falar a palavra priorizar, porque parece desprestígio para o Campeonato Brasileiro e para o adversário. Porém, temos que fazer escolhas do que é relevante ou não para este momento”, ponderou o comandante.

Alguns jogadores, inclusive, não foram relacionados para o jogo contra o Sport e ficaram no Rio de Janeiro, caso do goleiro Marcos Felipe e dos laterais Samuel Xavier e Egídio. Com isso, Muriel assume a posição no gol, fazendo sua estreia na temporada. Ele não entra em campo desde a vitória por 2 a 1 sobre o Internacional no Beira-Rio, em novembro do ano passado. Já as vagas nas laterais ficam com Calegari e Danilo Barcelos.

Ainda na defesa, David Braz e Manoel vão jogar no lugar da dupla de zaga formada por Nino, que está com a seleção olímpica, e Luccas Claro. O único titular confirmado no time é Martinelli, que não poderá atuar contra o Cerro porque está suspenso na Libertadores. Nenê e Wellington vão formar o meio de campo junto com ele, enquanto Cazares, Kayky e Lucca fecham a escalação como trio ofensivo.

CRISE POLÍTICA E FINANCEIRA – O Sport entra em campo zona de rebaixamento e vivendo uma crise política e um conflito dos jogadores com a diretoria por causa de atraso de salários.

Dentro de campo, o Sport vem de um empate fora de casa por 1 a 1 com o Atlético-GO e está há seis jogos sem vitória no Brasileiro. O time pernambucano está na zona de rebaixamento, com apenas sete pontos, na 17.ª posição.

Fora dele, o técnico Umberto Louzer tenta que controlar o racha entre os atletas e a diretoria, escancarado pelo atacante André durante a semana. Após a partida contra o Atlético-GO, o atacante desmentiu o presidente provisório Pedro Leonardo Lacerda – que havia divulgado o pagamento da folha. Os atletas fizeram o mesmo nas redes sociais, desmentindo o dirigente.

O treinador espera que toda essa confusão não se reflita em campo. “Sempre acreditei que os conflitos têm que ser resolvidos internamente. Claro que é uma situação difícil. Tudo que se torna público, que se possa resolver internamente, que é o que mais acredito, traz uma dificuldade para esse gerenciamento. Vou focar naquilo que cabe a mim, a evolução da equipe. Acho que vale salientar, valorizar, a entrega e dedicação desses atletas. Eles foram a campo, se entregaram, como vêm fazendo”, explica.

O atacante Paulinho Moccelin volta após cumprir suspensão. Ele fica como opção no banco de reservas. Dúvida por causa de um trauma no tornozelo direito, Hayner não deve ser problema e deve jogar na lateral direita.