Palmeiras joga mexido, desgastado e sob obrigação de ganhar da Chapecoense

Abel Ferreira mostrou enorme preocupação com o desgaste físico do Palmeiras após batalha com o CRB na quente Maceió. Revelou que jogadores perderam até cinco quilos no jogo da Copa do Brasil. Sem tempo para recuperação, a equipe volta a campo neste domingo, às 18h15, pelo Brasileirão, com obrigação de ganhar da Chapecoense após largada com derrota na competição diante do Flamengo.

Diferentemente de quando alternava titulares, reservas e até o terceiro time no estadual, o português sabe que não pode abrir mão de peças importantes no Brasileirão sob risco de tropeçar e ficar para trás. Mesmo com modificações na escalação, precisará usar a “força máxima” à disposição no Allianz Parque.

O técnico novamente não contará com o goleiro Weverton, o lateral-esquerdo Viña e o zagueiro Gustavo Gómez, convocados para as Eliminatórias, e com Gabriel Menino, defendendo a seleção olímpica. Danilo sentiu um incômodo muscular diante do CRB e deve aumentar as ausências. O experiente Felipe Melo definirá o nível de desgaste antes do jogo.

A derrota para o Flamengo obriga o Palmeiras a buscar reabilitação imediata no Brasileirão. Não deixar os ponteiros desgarrarem é um plano para a equipe chegar ao fim do ano na disputa pela taça. Ciente disso, Abel deve ter em campo diversos jogadores utilizados em Maceió. Alguns titulares entraram apenas no decorrer do jogo da Copa do Brasil, casos de Rafael Veiga e Luiz Adriano, e estão menos desgastados.

Adepto ao esquema com três defensores, Abel Ferreira tende a abrir mão diante de um rival com proposta defensiva no Allianz Parque. Wesley pode ser a novidade pela beirada do campo para tentar furar a retranca com seus dribles e velocidade. Rony e Luiz Adriano completariam o setor.

Gustavo Scarpa saiu irritado ao ser substituído no Estádio Rei Pelé, chutou cadeira e pode ser castigado diante da Chapecoense. Apesar de não externar os problemas com os comandados, Abel Ferreira não costuma perdoar indisciplina. Vamos ver se o meia consegue se retratar com o chefe, que disse “contar com ele”.

De volta ao Brasileirão, a Chapecoense tem como ambição apenas escapar do rebaixamento. Mesmo estreando o técnico Jair Ventura, não deve ter postura corajosa na casa palmeirense, o que obrigará o português a povoar seu ataque. A ordem é ter calma para buscar o gol e atenção nos contragolpes.

CHAPECOENSE – A Era Jair Ventura será iniciada, neste fim de semana, na Chapecoense. Na estreia do novo treinador, o time catarinense vai até São Paulo enfrentar o Palmeiras, às 18h15 de domingo, no Allianz Parque, pela segunda rodada do Brasileirão.

Nos últimos dois jogos – derrota para o Red Bull Bragantino, por 3 a 0, pelo Brasileiro, e vitória sobre o ABC, por 3 a 1, pela Copa do Brasil -, o time foi comandado por Felipe Endres, que assumiu interinamente a vaga de Mozart Santos, demitido após o vice catarinense (o Avaí foi campeão).

“A gente sabe que a vida do treinador não é fácil, sabemos da dificuldade de uma Série A. Estou feliz de jogar mais uma vez a Série A. Teremos um grande adversário, mas temos a nossa força a nossa estratégia e vamos buscar para fazer um grande jogo”, disse Jair Ventura em sua apresentação.

Como fez apenas três atividades antes da partida deste domingo, o novo treinador deve apostar na manutenção do time que ganhou do ABC no meio de semana. A única mudança será no meio de campo. Com dores na perna, o volante Anderson Leite será preservado e substituído por Ronei.

Diagnosticado com covid-19, o atacante Perotti segue cumprindo o isolamento sob supervisão do departamento médico alviverde. O prata da casa é o principal goleador da Chapecoense na temporada, com 15 gols. Uma baixa que será sentida.