Paranaenses são convocados para disputar Mundial de Handebol no Egito

E mais uma vez paranaenses vão integrar a principal seleção de handebol do país em uma competição internacional. Além de quatro atletas, a Seleção Brasileira também contará com dois experientes profissionais na comissão técnica.

Entre os 20 jogadores convocados pelo técnico Marcus Oliveira, popular Tatá, para a disputa do Campeonato Mundial de Handebol Masculino, que acontece no Egito entre os dias 13 e 31 de janeiro de 2021, estão o ponta esquerda Cleber Andrade, que joga pela Liga Taubateana de Handebol-SP, os laterais esquerdos Haniel Langaro, que veste a camisa do Barcelona-ESP, e Thiago Ponciano, que atua pelo Club Balonmano Ciudad Encantada-ESP, além do central Henrique Teixeira, do CSM Bucharest-ROM.

Os jogadores comemoraram nas redes sociais a convocação. “Feliz de mais uma vez ter a oportunidade de vestir essa camisa. É sempre uma honra poder representar meu país junto com os guerreiros”, disse Haniel, um dos destaques do último Mundial, em que marcou 37 gols em oito partidas e ficou entre os 20 artilheiros da competição. “Feliz em ser convocado para a Seleção Brasileira na preparação para o Mundial do Egito”, escreveu Teixeira, um dos mais experientes da equipe. “Muito feliz com a oportunidade de representar o nosso país. Somente gratidão”, publicou Andrade.

Como auxiliares técnicos foram relacionados Giancarlos Ramirez, treinador do Londrina, e Leonardo Bortolini, ex-atleta da Seleção Brasileira e atual técnico da equipe de Maringá.

A apresentação dos atletas está prevista para o dia 27 de dezembro, no Rio Maior Sports Centre, um complexo esportivo situado a 75km da capital portuguesa Lisboa. De lá a delegação brasileira segue para a capital egípcia Cairo, com previsão de embarque entre os dias 6 e 8 de janeiro.

Competição – A 27ª edição do Mundial terá pela primeira vez a participação de 32 seleções, sete equipes a mais que em 2019, disputando o título que atualmente é da Dinamarca.

As seleções estão divididas em oito grupos de quatro, onde todos se enfrentam dentro de cada chave e apenas três avançam para a rodada principal. O Brasil está no grupo B e estreia na competição dia 15 de janeiro diante da Espanha, atual campeã europeia e que em 2013 levou pra casa o título mundial.

Na sequência, dia 17 de janeiro pega o elenco da Polônia, 4º colocado nas Olimpíadas do Rio, mas que não realizou um bom campeonato continental e se classificou por convite pra disputa. E o último confronto da primeira fase será dia 19 de janeiro contra a Tunísia, que é a segunda força da África, atrás apenas dos anfitriões egípcios.

Em 2019, o Brasil ficou em 9º lugar no Mundial, melhor colocação do país na história do torneio, resultado que garantiu a seleção no pré-olímpico, depois do tropeço do 3º lugar nos Jogos Pan-Americanos.

PRÉ-OLÍMPICO – O Mundial servirá de preparação para o pré-olímpico da Noruega, entre 12 e 14 de março de 2021. A seleção brasileira masculina junto com os anfitriões, Chile e Coreia do Sul disputará uma das duas vagas restantes para as Olimpíadas de Tóquio, que acontecem de 23 de julho a 08 de agosto de 2021. Com o título dos Jogos Pan-Americanos de 2019, a seleção feminina já está garantida na disputa.

Jaqueline Galvão

CASCAVEL