Pressionado, Sylvinho busca primeiros pontos no Corinthians contra o América-MG

O Campeonato Brasileiro está ainda na segunda rodada, mas o confronto diante do América-MG, neste domingo, às 16h, em Belo Horizonte, ganhou contornos decisivos para o técnico Sylvinho. E o motivo para uma pressão tão precoce tem explicação: duas derrotas nos dois primeiros jogos e classificação ameaçada para as oitavas de final da Copa do Brasil.

Pode-se somar ainda a esses dois fatores a falta de um futebol convincente, herança ainda do antecessor Vagner Mancini. Com discurso baseado em conhecimento de clube, e muito trabalho para manter o elenco focado, Sylvinho já entendeu que essas derrotas precisam fazer parte do passado rapidamente para que ele possa ter uma vida mais tranquila na função de ´professor`.

“Não sou nem otimista e nem pessimista. Sou um realista esperançoso. Esse é o meu trabalho, é o trabalho do líder, de quem comanda, e eu entendo dessa forma. Meus atletas já sabem que a competição é difícil e equilibrada. A diferença entre ganhar e perder está em detalhes”, afirmou o treinador após a derrota do meio de semana num claro discurso de trabalhar a motivação do grupo.

E diante de um calendário sem tempo para corrigir erros, o treinador precisa fazer uma atividade de recuperação com alguns jogadores. Dos medalhões à disposição, apenas Cassio e Fagner são titulares absolutos. O zagueiro Gil, o lateral Fábio Santos e o atacante acabaram perdendo espaço no time principal. Contratado a peso de ouro para ser um diferencial na equipe, Luan ainda alterna boas atuações com desempenhos abaixo do esperado. E a conta dessa oscilação já está chegando no treinador.

Não bastasse a crise técnica e a falta de confiança do elenco, Sylvinho tem ainda de lidar com a grave crise financeira que assola o Parque São Jorge. A dívida do clube supera a casa dos R$ 980 milhões e, com os cofres vazios, a chegada de reforços é cada vez mais escassa.

Diante dessa penúria, a necessidade de se manter na Copa do Brasil acaba sendo uma pressão a mais para o treinador, principalmente pelo lado financeiro. A classificação para as oitavas de final do torneio garante ao clube mais R$ 2,7 milhões no orçamento do futebol. E para cumprir essa meta, o Corinthians precisa, pelo menos, de uma vitória por dois gols de vantagem diante do Atlético-GO, no confronto de volta das oitavas de final para levar a decisão da vaga para os pênaltis na semana que vem.

Em meio a esse clima de tensão, Sylvinho tenta dar um tom de naturalidade ao seu trabalho, virar a chave para o Campeonato Basileiro e focar no América-MG. Para a partida diante dos mineiros, o técnico terá dois atletas à disposição: o volante Xavier (lesão na coxa direita) e o centroavante Cauê (pancada no tornozelo direito) estão liberados.

A tendência, no entanto, é colocar um time mais forte na marcação para esperar a pressão dos donos da casa. Assim, Gil deve atuar no miolo e zaga ao lado de João Victor e com Fagner e Lucas Piton nas laterais. Gabriel, Cantillo e Ramiro compõem o meio enquanto Luan fica centralizado na frente com Gustavo Mosquito e Mateus Vital pelas pontas.

AMÉRICA-MG – Depois da derrota na estreia para o Athletico-PR por 1 a 0, o América busca sua reabilitação na segunda rodada do Campeonato Brasileiro enfrentando o Corinthians, domingo, às 16h, na Arena Independência, em Belo Horizonte.

Para buscar a primeira vitória desde o seu retorno à Série A, o time mineiro terá que quebrar dois incômodos jejuns: sequência de quatro jogos sem vitória e dos mesmos quatro jogos sem marcar gols. Para piorar, o artilheiro do time, Rodolfo, perdeu dois pênaltis no período. No meio da semana, o América empatou sem gols fora com o Criciúma, pela Copa do Brasil.

Mesmo diante desta situação, Lisca evita pedir reforços para o setor ofensivo. “Não é nesse momento que vou fazer avaliação de jogador e dizer que precisamos disso ou daquilo. Esse aqui não é o fórum adequado. Essa discussão é feita internamente, com a diretoria, gerência, coordenação e comissão técnica”, explica.

Contra o Corinthians, ele deve manter Felipe Azevedo, Rodolfo e Ademir no ataque. O zagueiro Ricardo Silva explica que o momento sem vitória não pressiona o time contra o Corinthians.

“Sabemos que temos que vencer por conta desta sequência sem vitória. Estamos fazendo boas partidas, mas não estamos vencendo. A vitória vai chegar pelo jeito que estamos jogando. O ambiente é bom e os gols vão sair e a vitória vai voltar a reinar. Respeitamos o Corinthians, mas temos que vencer”, explica o técnico.