Primeira etapa do Campeonato Paranaense de Poker será em Cascavel

A temporada 2020 de poker está prestes a começar pra valer no Paraná. Em fevereiro, acontece a primeira etapa do Campeonato Paranaense de Poker, maior competição estadual da modalidade, organizado pela Federação Paranaense de Texas Hold’em (FPTH). A largada será dada justamente na região oeste do Estado.

A primeira etapa está marcada para a cidade de Cascavel e será realizada entre os dias 11 e 17 de fevereiro, com disputas tanto Texas Hold’em, a variante de poker mais jogada em todo o mundo e referência para todas as principais competições nacionais, quanto em Omaha Hold’em, modalidade similar ao Texas, com algumas diferenças. O palco do torneio será o Clube 2000, um dos maiores clubes de poker da cidade.

Com Buy-in (valor de entrada) de 300 reais, a primeira etapa do Campeonato Paranaense de Poker também terá vagas oferecidas por meio de torneios satélites que estão sendo disputados online nos dias que antecedem abertura da competição. É uma ótima oportunidade para quem quer migrar do poker online para o maior torneio do Estado e buscar espaço nos grandes torneios presenciais.

Com uma premiação garantida de 200 mil reais a ser distribuída entre os melhores colocados, a primeira etapa do Paranaense deve atrair jogadores de todo o Estado para Cascavel, o que deve impactar também o turismo da região e movimentar a economia local no mês do carnaval.

Cinco etapas

A etapa de Cascavel será a primeira das cinco que compõem a edição 2020 do Campeonato Paranaense de Poker. A agenda completa já foi fechada pela FPTH: a segunda etapa ocorre em Londrina, no A7 Sports, entre os dias 31 de março e 6 de abril. A terceira etapa acontece em Guarapuava, no Clube K9, entre 26 de maio e 1ª de junho.

As duas etapas decisivas ficam para o segundo semestre. Entre os dias 25 e 31 de agosto, Maringá recebe a quarta edição no Full House Clube. Já a quinta e decisiva etapa do Campeonato Paranaense será na capital Curitiba, entre 3 e 9 de novembro, no H2 Club.

Em 2019, o campeão paranaense foi Diego Soares, jogador de Londrina, que terminou o ano com pontuação 2340, superando Raul Furnaletto, com 2290. O terceiro lugar ficou com Célio de Moraes, com 1648 pontos.

Ranking e premiação

A Federação anunciou algumas mudanças para o Ranking 2020 do Campeonato Paranaense. O primeiro colocado levará pra casa o bracelete de campeão paranaense e um prêmio de 30 mil reais, além de um ticket buy-in para o evento principal do BSOP Millions 2020, maior circuito de poker do país e da América Latina.

O campeão também integrará a equipe paranaense no Campeonato Brasileiro de Equipes (CBPE) em 2021, na nona edição do certame organizado pela Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), que reúne 20 seleções estaduais de todo o país em uma sede a ser definida pela organização.

As premiações não param por aí. O segundo colocado do ranking embolsará a quantia de 20 mil reais, e o terceiro levará 10 mil reais. Do 4º ao 10º colocados, todos receberão 2 mil reais. O buy-in para o Main Event do BSOP também será oferecido a todos que ficarem entre os dez primeiros, a exemplo do campeão.

Estado tem tradição no esporte

Alexandre Gomes, primeiro brasileiro campeão do WSOP. Foto: Wikimedia

O Paraná é uma das referências nacionais quando o assunto é poker. Há dois anos, a seleção paranaense conquistou o título do Campeonato Brasileiro de Equipes, em São Paulo, com uma equipe formada por Marco Brito, Alisson Piekazewicz, Thiago Crema, Dayane Kotoviezy, Leocir Carneiro e Pedro Grochocki, capitaneada por Daniel Almeida. Na ocasião, os paranaenses superaram São Paulo, donos da casa e atuais campeões à época.

Em 2019, o Paraná não repetiu o título, mas ficou com a quarta colocação, atrás de Goiás, Rio Grande do Sul e São Paulo, consolidando-se entre as principais equipes do país na modalidade mais popular dos esportes da mente.

O estado também é terral natal de dois dos seis brasileiros que já se sagraram campeões de um evento do World Series of Poker (WSOP), maior circuito mundial do poker. São eles: Alexandre Gomes, primeiro brasileiro a faturar um bracelete do evento, em 2008, faturando 770 mil dólares; e Yuri Martins, que venceu no ano passado e levou pra casa 213 mil dólares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *