Regulamento do Carioca prevê multa para quem não usar titulares após a 3ª rodada

O regulamento do Campeonato Carioca traz, em seu artigo de número 41, a previsão de multa para qualquer time que não utilizar sua “equipe considerada principal” nos jogos do torneio, “sem justo motivo”. O valor da multa prevista pela Ferj é o que o clube vai receber da cota de TV a ser paga pela Rede Record, que transmitirá o torneio.

Os clubes aprovaram o regulamento em reunião arbitral realizada em dezembro de 2020. A intenção é de evitar que os times grandes utilizem reservas, times sub-20 ou sub-23, como Flamengo, Vasco e Botafogo fizeram em parte da edição 2020, e esvaziem o Campeonato Carioca.

A situação deve prejudicar principalmente Flamengo e Fluminense, times classificados para a Libertadores. O Botafogo, já rebaixado, e o Vasco, que luta contra o rebaixamento, devem utilizar os jovens apenas nas rodadas iniciais, depois escalando os titulares normalmente.

A proposta da Record pelos direitos de transmissão do Campeonato Carioca foi de R$ 11 milhões. Não é a primeira vez que a Ferj tenta evitar que os times grandes usem os times de base em seu principal torneio, enquanto os principais jogadores faziam uma pré-temporada adequada. Em 2016, o regulamento do Campeonato Carioca previa multa de R$ 50 mil para o clube que não inscrevesse os mesmos atletas de torneios nacionais e internacionais, e em 2016 e 2017 havia limite de apenas cinco atletas sub-20 por equipe.

“A associação que, sem justo motivo, assim reconhecido pelo DCO da FERJ, após a 3ª Rodada da Taça Guanabara, deixar de utilizar sua equipe considerada principal, perderá o valor correspondente a totalidade de sua cota fixa de direito de transmissão e, caso já as tenha recebido ou não faça jus, pagará uma multa equivalente a esse valor, que será revertida em benefício dos demais clubes participantes do campeonato”, afirma o artigo do regulamento do Campeonato Carioca.