Renan, do Vôlei Renata, encara 570 km de estrada para ver o nascimento do filho

O ponteiro Renan, do Vôlei Renata, viveu uma maratona para acompanhar o nascimento do filho Théo. Após entrar em quadra na derrota para o Taubaté na semifinal da Copa Brasil, o jogador encarou 570 quilômetros de estrada entre Saquarema, no Rio de Janeiro, e Campinas, em São Paulo, distribuídos em pouco mais de seis horas de viagem.

O parto de Théo estava agendado para esta sexta-feira e o Vôlei Renata armou um esquema logístico para que Renan estivesse ao lado da mulher Paola neste momento especial. Antes mesmo da ida até Saquarema, o retorno do ponteiro estava organizado. A equipe contratou um táxi para levá-lo, de forma segura, e o mais rápido possível para Campinas.

“Foram horas longas dentro do carro, muita ansiedade, imaginando mil coisas, pensando na minha mulher e no meu filho que estava vindo. Não fazia ideia de como ia ser, mas agora é só felicidade. A adrenalina do jogo, da viagem, dessa emoção, ainda não baixou, mas valeu a pena quando vi o rostinho do Théo”, afirmou Renan.

Formado nas categorias de base do Vôlei Renata, Renan tem quase sete anos de clube. Com 22 anos, ele vivenciou de tudo no time campineiro: jogou sua primeira Superliga com 19 anos, venceu títulos no processo de formação, se desenvolveu como jogador e, agora, se tornou pai.

“Foi chegar em casa, trocar de roupa e já ir para o hospital. Não deu tempo de fazer nada, cheguei em cima da hora. É difícil explicar essa emoção. Acho que difícil também vai ser dormir. É tentar relaxar o máximo possível para descansar. Será uma nova vida e não poderia estar mais feliz com ela”, afirmou o ponteiro.