Santos e Palmeiras colocam à prova desconfiança e desfalques em clássico

Santos e Palmeiras têm importantes desafios a serem superados no clássico deste domingo, às 16h, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os dois times entram em campo com a mesma ambição: lutar pela liderança do torneio nacional. A seu favor, o time alvinegro terá a Vila Belmiro lotada – os ingressos se esgotaram na quinta -, enquanto o lado alviverde se apoia na sequência invicta de 13 jogos.

A equipe da Baixada venceu apenas um de seus últimos quatro duelos na temporada. Os recentes empates como mandante, diante de Ceará e Banfield, fizeram renascer temores sobre os rumos do Santos na temporada. Já os palmeirenses têm preocupações referentes ao curto elenco. Weverton, Danilo e Kuscevic são desfalques certos e já se apresentaram às seleções brasileira e chilena, respectivamente. Outra ausência será do técnico Abel Ferreira, suspenso por cartões amarelos.

Santos e Palmeiras detêm as melhores defesas do Brasileirão. As duas equipes foram vazadas apenas cinco vezes ao longo das sete primeiras rodadas. Outrora problemático, o sistema defensivo alvinegro foi corrigido desde a chegada da comissão técnica argentina. Fabián Bustos aposta em melhorar a velocidade do time nas criações ofensivas para surpreender o Palmeiras, que já demonstrou alguma dificuldade quando atraído para o ataque, deixando espaços na retaguarda. Sem Danilo, uma das principais peças para a organização defensiva, o time palestrino precisará encontrar soluções conjuntas para não se ver fragilizado.

“Jogo importante, clássico. Em um momento relevante da equipe, com sequência de vitórias, classificado na Libertadores, no alto da tabela do Brasileirão”, iniciou o goleiro Marcelo Lomba, que substituirá o convocado Weverton, sobre a oportunidade de ser titular. “É bom entrar nesses momentos, com o time equilibrado, defesa segura, ataque fazendo gols. É manter os pés no chão, humildade, para podermos dar nosso melhor. O Santos é um adversário forte, de tradição, com jovens talentos.”

Melhor defesa e melhor ataque. O Palmeiras também é a equipe que mais marcou gols no Campeonato Brasileiro (12). Ao todo, em 2022, os comandados de Abel já somaram 74 tentos em 35 partidas, com uma média de 2,1 por jogo. Para efeito de comparação, o Santos em 29 jogos anotou 40 gols (média de 1,3 por jogo). Raphael Veiga se recuperou da covid-19, pode retomar a titularidade e ajudar a equipe como protagonista no ataque.

NÚMEROS

Pesa a favor do Palmeiras também o bom retrospecto recente no clássico. São oito jogos sem perder, somando seis vitórias e dois empates. Entre os triunfos está a final da Libertadores de 2020, disputada no Maracanã. A última vez em que o Santos somou três pontos diante do rival da capital foi em outubro de 2019: vitória por 2 a 0 na Vila, pelo Campeonato Brasileiro, quando o time ainda era comandado pelo argentino Jorge Sampaoli.

“A gente vai dar o nosso melhor, como a gente tem dado em todos os jogos. Vamos fazer o possível para sair com a vitória. É um jogo difícil. Costumo dizer que clássico é feito para ganhar e temos condições para isso. Vamos jogar em casa, não digo que somos favoritos. Vamos tentar eliminar nossos erros para não dar chances ao Palmeiras, que tem uma grande equipe, com muita qualidade. Ninguém quer ficar tantos jogos sem ganhar, mas domingo é outra partida e temos tudo para sair com o resultado positivo”, avaliou o zagueiro Maicon.

Para encerrar o jejum de vitórias, o santista também confia em Ricardo Goulart. O meia não tem tido atuações regulares, mas com sua experiência tem auxiliado os jovens destaques alvinegros. Esta será a segunda vez em que Goulart reencontra sua ex-equipe. O atleta teve passagem fugaz no Palmeiras em 2019. Uma lesão no joelho atrapalhou seu aproveitamento, e uma ótima oferta do Guangzhou Evergrande o fez retornar rapidamente ao futebol chinês.