STJD pune Abel Ferreira e auxiliar do Palmeiras por reclamações na Supercopa

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) puniu com um jogo de suspensão o técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, e o seu auxiliar, João Martins. Eles receberam a punição por “reclamação desrespeitosa” à arbitragem na partida contra o Flamengo, dia 11 de abril, em Brasília, pela Supercopa do Brasil.

Os dois foram denunciados no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, cuja pena prevista é de uma a seis partidas de suspensão. A Quinta Comissão Disciplinar decidiu nesta sexta-feira pela punição mínima por unanimidade na votação.

Na Supercopa, que reuniu o campeão do Campeonato Brasileiro e da Copa do Brasil, o Palmeiras teve o técnico Abel Ferreira e o seu auxiliar João Miguel expulsos pelo árbitro Leandro Vuaden. Na súmula, o juiz narrou as palavras ditas por cada um, fato que gerou denúncia a Abel e seu auxiliar, e relatou que foi ofendido pelo treinador português, que levou o vermelho após reclamar de uma falta em Breno Lopes. O técnico negou que tenha desrespeitado a arbitragem.

“Aos nove minutos o senhor árbitro marcou a primeira falta e mostrou o amarelo para o Felipe Melo. Aos dez minutos ele marcou outra falta e deu amarelo ao meu jogador. Aos 36 minutos há uma falta clara no Breno e recebo o primeiro amarelo. Disse e reclamei que era para amarelo. Protestei dizendo isso. O fiscal de linha chamou o árbitro e recebi o primeiro amarelo. Passados dois minutos eu falei: ‘Estão presentes nessa final as duas melhores equipes e essa final merecia ter o melhor árbitro brasileiro’. O árbitro estava na área do Flamengo e vem me dar o vermelho. Quem chamou o árbitro foi o quarto árbitro. Foi o meu desabafo e em momento algum eu usei palavras de desrespeito”, declarou Abel Ferreira.

O STJD também determinou multa de R$ 5 mil ao Palmeiras e ao Flamengo pelo tumulto ocorrido no túnel de acesso aos vestiários. No julgamento desta sexta, João Martins afirmou que Marcos Braz, diretor do Flamengo, tentou agredi-lo.

“Um senhor forte do Flamengo, que depois fiquei sabendo que era diretor do Flamengo, tentou me agredir. Depois teve alguns atritos, empurrões, mas nada de violência. Os seguranças do Palmeiras começaram a intervir e rolou aquele tumulto”, alegou.

Após os depoimentos o subprocurador-geral, João Marcos, sustentou a denúncia. “A emoção é fundamental na vida mas precisa de um limite e precisa ser contida em um determinado momento. O excesso é tipificado no artigo 258 do CBJD. Há diversos elementos que fazem com que a Procuradoria tenha certeza que os fatos narrados na súmula aconteceram”, ressaltou.

A decisão, proferida nesta sexta, cabe recurso e pode chegar ao pleno, última instância nacional. Abel Ferreira e João Martins devem cumprir a suspensão na próxima partida do Palmeiras em competição organizada pela CBF.