Tite confia em crescimento técnico de Neymar, mas pede tempo

De volta à seleção brasileira após ficar de fora da última convocação por motivo de lesão, o atacante Neymar terá na seleção brasileira mais uma sequência de jogos e treinamentos para “buscar a melhor performance”, como disse nesta sexta-feira o técnico Tite. Para a comissão técnica da seleção, as atuações irregulares de Neymar nos últimos jogos pelo Paris Saint-Germain são consideradas normais devido ao longo período em que o atacante ficou afastado dos gramados.

“Ele fez um jogo bom no primeiro tempo (contra o Real Madrid), e como toda a equipe, caiu na sequência”, considerou Tite, logo após anunciar a lista de convocados para os confrontos com o Chile e a Bolívia, pelas duas últimas rodadas das Eliminatórias. “Tem uma margem de crescimento porque ele tem uma qualidade extraordinária. É um processo de retomada normal de quem vem de lesão.”

De acordo com o treinador, o tempo e a sequência de jogos farão o principal jogador da seleção brasileira voltar ao seu melhor desempenho. “Ele tem todo um processo de busca dessa melhor performance, e que o tempo vai dar, os treinamentos vão dar, os próprios treinamentos e essa sequência curta de jogos do PSG vão dar, a sequência com a seleção vai dar”, pontuou Tite.

“Essa sequência, esse processo evolutivo, a gente vai fazer todo o trabalho possível, e também esse acompanhamento de tê-lo com saúde. Esse processo de ter o atleta com saúde, essa evolução físico-técnica é importante”, acrescentou o treinador.

Neymar se lesionou no final de novembro e retornou aos gramados somente no mês passado. “Ele ficou aproximadamente 78 dias sem jogo. E treinamento esportivo não é pílula, não é anti-inflamatório que você dá e a dor passa”, comentou o preparador físico da seleção, Fábio Mahseredjian.

“Você demora a adquirir novamente os efeitos fisiológicos do treinamento. Ele (Neymar) fez cinco partidas até agora, sendo só duas completas. Ele vai evoluir, como o Tite diz, e a cada jogo vocês vão perceber uma evolução cada vez maior. Temos que dar tempo ao tempo.”