Tite reitera Neymar como ‘arco e flecha’ e explica formação do ataque da seleção

Líder das Eliminatórias Sul-Americanas, com quatro vitórias em quatro partidas, e com média de três gols por jogo, a seleção brasileira voltará a ter no próximo mês um ataque formado por jogadores acostumados a balançar as redes adversárias. Ao todo, Tite chamou nada menos do que sete jogadores de frente. A lista inclui atacantes com perfis diferentes, sendo que de todos eles apenas um tem vaga garantida no time titular: Neymar, definido novamente pelo treinador como “arco e flecha”

“Neymar, uma liberdade criativa de um jogador que é arco e flecha, que é construtor e finalizador, que tem talento individual. Nós temos que dar a ele (condições) de potencializar esse talento e colocar pra fora”, disse Tite.

Na sequência, ele explicou como compôs a lista de jogadores ofensivos. “Se quer um jogador terminal, que vira de costas para o armador porque quer a última bola, esse jogador é o Richarlison. Quer jogador de combinação, que possa rodar e trabalhar num setor cinzento do adversário, costas do volante, entre o lateral e o zagueiro, tem o Gabriel Barbosa. O Firmino, se quer jogador que vem de (camisa) 9 para 10, sem ser distâncias muito longas, vai ter. Se quer o Gabriel Jesus do City, que ataca o espaço e tem profundidade, ele vai ser central, ser o jogador de última bola. Ou podemos ter a composição de dois desses”, avaliou Tite.

Além dos atacantes mais de ofício, o técnico também chamou meias ofensivos, como Paquetá e Everton Ribeiro. Sobre o jogador do Flamengo, disse que é “ele é mais arco”, em referência ao exemplo que deu sobre Neymar. “Ele (Everton Ribeiro) esteve nos últimos três jogos da seleção e foi muito bem. É versátil em posições e funções que a gente exerce. Está numa retomada do melhor momento, mas a consistência e o desempenho na seleção têm nos trazido a certeza do atleta de alto nível.”

Tite convocou nesta sexta-feira 24 jogadores para duas partidas das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. O primeiro confronto será no dia 4 de junho contra o Equador, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. A segunda partida será disputada no dia 8, diante do Paraguai, em Assunção.