Encontro reúne os estados do Sul para fortalecer o turismo rural

O 1º Encontro de Turismo Rural dos Três Estados do Sul, que começou na tarde de segunda-feira (27) e se estende nesta terça (28), tem como objetivo profissionalizar e fortalecer o setor, de forma a cativar a população urbana e melhorar a renda no meio rural. O evento deste ano é realizado de forma online e passará a ser bianual a partir de agora.

“Nós temos ativos valiosos no meio rural nos nossos três estados do Sul, que devem ser explorados cada vez mais de modo profissional”, disse o secretário da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, Norberto Ortigara. “Quando se fala em profissional significa cativar o visitante para que venha uma, duas, três, tantas vezes quanto necessário para conhecer o turismo ligado ao agro, o turismo de experiência, o turismo nas comunidades, o turismo mais técnico-científico, o turismo de gastronomia, o aproveitamento, enfim, das coisas que temos no ambiente rural.”

Segundo ele, o Paraná estimula essa alternativa de renda com alguns programas como o de melhoria de estradas rurais e com o barateamento para zero ou próximo de zero dos juros de financiamentos nesse setor pelo Banco do Agricultor Paranaense.

“Nós temos uma política de apoio, de incentivo, de orientação técnica e financeira visando melhorar as condições de recepção e de agrado ao turista que quer aproveitar o pós-pandemia para relacionar-se muito mais e melhor com o nosso mundo”, afirmou. “Nós precisamos caprichar cada vez mais para que a população urbana saiba, conheça e desfrute dessa nossa ambiência bastante legal”, destacou Ortigara.

ALTERNATIVA DE RENDA – O presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná), Natalino Avance de Souza, ressaltou que, nos últimos 70 anos, o Paraná mudou o fluxo demográfico, de um Estado totalmente rural para um em que 87% da população é urbana. “Essa população com origem no rural tem se mostrado cada vez mais disposta a voltar a conviver com os atrativos que o rural fornece, a prestigiar produtos cada vez mais com segurança alimentar”, disse.

Ele frisou, ainda, o desafio que é produzir riqueza para a população rural por meio do turismo e, para isso, organizar as famílias que trabalharão com esse setor. “O turismo se apresenta como uma alternativa de renda, uma alternativa de valorização do rural, e o nosso desafio é ajudar as propriedades a se valer dessa oportunidade que vem do turismo”, propôs.

A presidente da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Edilene Steinwandter, reforçou que o evento reunindo representantes dos três Estados é um importante propulsor do desenvolvimento sustentável no campo. “Sabemos que o turismo rural é uma excelente fonte de renda para as famílias e fortalece a autoestima das comunidades, que têm o espaço rural valorizado pela população urbana”, afirmou.

EXEMPLO – Para o presidente da Emater/RS-Ascar, Edmilson Pelizari, há necessidade da manutenção dos valores culturais e naturais das comunidades. “As ações primam pela sustentabilidade, visando agregar importância a produtos e serviços rurais mediante a valorização do patrimônio natural e cultural do campo, sem, contudo, descaracterizar o modo de ser das comunidades receptoras”, disse.

O diretor da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Arraes, também participou da abertura do evento. “Espero que outras regiões do Brasil utilizem esse exemplo fantástico de fazer as ações conjuntas”, elogiou. “Num país com tantos problemas e com tantas dificuldades só juntando as mãos para que a gente possa seguir essa linha de desenvolvimento e de maior renda para os produtores rurais, que são o tesouro do nosso país.”

O evento se estendeu durante esta terça-feira com apresentação de experiências nos três estados. Do Paraná, foi apresentado o projeto Mulheres do Café, que reúne mulheres no Norte Pioneiro para plantio e beneficiamento de cafés especiais. Também houve palestras e debates a respeito de comercialização e organização de produtos turísticos, e sobre formação de preços e negociação com trades.

Da AEN