Paraná intensifica ações para criar rotas estratégicas regionais de ciência, tecnologia e inovação

Uma mobilização envolvendo a participação de representantes do Governo do Estado, setor empresarial e acadêmico, além da sociedade, busca implantar rotas estratégicas regionais de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) no Paraná. O lançamento do projeto acontece quinta-feira (10.06), em evento online durante o 1º Painel Rotas Estratégicas CT&I 2040 – Ecossistema Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação Oeste.

A iniciativa é fruto de uma parceria entre o Governo do Estado, por meio da Fundação Araucária e da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e o Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), sendo conduzida metodologicamente pelo Observatório Sistema Fiep. O evento, que faz parte de uma série de atividades programadas para o mês de junho, irá apresentar os objetivos das rotas e promover a construção coletiva para o ecossistema regional de ciência, tecnologia e inovação Oeste. Na sequência, serão realizados outros encontros sobre os ecossistemas Norte, Litoral e da Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

Segundo o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, a partir do resultado deste trabalho será possível construir estratégias regionais que conduzam a valorização de ativos, a concentração de esforços e o direcionamento de recursos com vistas à criação de diferenciais, em termos de ciência, tecnologia e inovação, em todo o território paranaense.

“Será uma importante contribuição que nos ajudará na tomada de decisão em relação ao fomento, ao aporte de recursos nos projetos de pesquisa. Entenderemos melhor as especificidades de cada região, já que temos nove grandes ecossistemas de inovação. Entendendo estas especificidades, podemos compreender melhor a contribuição que o sistema de ciência, tecnologia e inovação pode dar para o desenvolvimento socioeconômico destas regiões”, afirmou.

PILARES – Com o intuito de traçar caminhos para transformação estrutural do Paraná, as Rotas Estratégicas CT&I 2040 vêm sendo construídas por meio de dois pilares: inteligência coletiva, contando com a participação de diversos stakeholders paranaenses; e especialização inteligente, procurando gerar novas especialidades regionais por meio da descoberta de domínios de oportunidade.

“Os desafios vivenciados globalmente com a pandemia do novo coronavírus alteram as regras do jogo e, ao mesmo tempo, impõem e possibilitam um reposicionamento dos setores de atividade econômica. Esse olhar de indução do desenvolvimento a partir da perspectiva dos ecossistemas regionais de CT&I colocará o Paraná, sem sombra de dúvida, em outro patamar de competitividade”, destaca a gerente executiva do Observatório Sistema Fiep,  Marília de Souza.

Como resultado do projeto, será entregue ao Paraná, até o fim do ano, uma agenda convergente de ações transformadoras que buscam orientar os Ecossistemas Regionais de CT&I. “Através desta melhor relação do sistema de ciência, tecnologia e inovação com o desenvolvimento regional, avançamos na percepção de bem comum da população em relação ao próprio sistema”, diz o diretor de CT&I da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa. “Queremos que a população veja, cada vez mais, este sistema de CT&I como algo que lhe pertence, como um bem que pode lhe aportar soluções para problemas complexos”.

Ele reforçou, ainda, a importância da participação das lideranças regionais para o sucesso do projeto. “O governo, a academia, o setor econômico e a sociedade civil organizada de cada região estão sendo mobilizados para que possam nos trazer a percepção deles de como desenvolver a região baseado em ciência, tecnologia e inovação.”

PAINEL – O Painel Rotas Estratégicas CT&I 2040 – Ecossistema Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação Oeste acontece das 8h30 às 12h e será transmitido pelo canal da Fundação Araucária no Youtube.

PRÓXIMOS EVENTOS – No dia 22 de junho será realizado o painel sobre o Ecossistema Regional de CT&I Norte; no dia 23 será a vez do Ecossistema Regional de CT&I Litoral e, fechando este primeiro ciclo de atividades, no dia 24 de Junho as discussões serão sobre o Ecossistema Regional de CT&I da RMC.

Da AEN