Projeto Caixa d’Água Boa já atendeu quase 500 famílias neste ano

A quarta fase do projeto Caixa d’Água Boa já beneficiou 452 famílias em 16 municípios paranaenses. Além do reservatório, elas recebem um kit para instalação, capacitação para realizá-la e R$ 1 mil para cobrir os custos. Neste ano serão atendidas 1,5 mil famílias em 53 cidades do Interior. O projeto, que integra o programa Nossa Gente Paraná – estratégia intersetorial para o enfrentamento à pobreza – é coordenado pela Secretaria de Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) e executado em parceria com a Sanepar.

Em 2022 já foram empenhados R$ 482 mil do montante de R$ 1,5 milhão destinados para essa etapa.

“Fazer políticas sociais vai além de destinar um auxílio, ou entregar uma casa ou um trator para as famílias. É necessário ter essa visão integralizada, mais humana, de tudo o que uma família precisa. O Caixa d’Água Boa, além de ser um programa social, é também uma política de saúde que aumenta a qualidade de vida dessas famílias. É uma política de planejamento que dá segurança para essas pessoas em tempos de estiagem”, disse o secretário Rogério Carboni.

Nas três primeiras fases do projeto foram beneficiadas 4 mil famílias em 143 municípios, totalizando um investimento de R$ 4 milhões em recursos obtidos no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

“Como a instalação é feita pelas próprias famílias, ofertamos uma capacitação e R$ 1 mil para que possam elas mesmas comprar os insumos e construir, ou contratar pedreiros para isso. Também há possibilidade de reunir vários beneficiários do projeto da mesma comunidade e utilizar esse recurso conjuntamente”, destacou Márcio Marcolino, diretor-geral da Sejuf.

SELEÇÃO – O processo de seleção das famílias, com renda até meio salário mínimo per capita e cadastradas no CadÚnico, é realizado pelos CRAS (Centro de Referência da Assistência Social), seguindo os critérios do Índice de Vulnerabilidade das Famílias.

Tamara Zázera Rezende, coordenadora do Programa Nossa Gente Paraná, destaca que a parceria dos municípios, por meio dos CRAS e dos departamentos de infraestrutura, tem sido fundamental para o desenvolvimento do Caixa d’Água Boa. “A partir da experiência das etapas anteriores, a Sejuf fez alguns aprimoramentos no projeto e a quarta fase apresenta execução ainda mais rápida e efetiva. Outra mudança se refere à instalação da caixa d’água, que agora é feita de madeira tratada, uma alternativa prática, econômica e ecológica”, explicou

“Uma caixa d’água é um item simples, mas na sua ausência a família pode ficar privada de conforto, higiene, bem-estar. O projeto beneficia não só as famílias contempladas, mas toda a comunidade, pois evita que a rede de distribuição de água fique sobrecarregada”, completou Tamara.

Confira as cidades já atendidas:

São João do Caiuá: 12 famílias

São Pedro do Iguaçu: 20 famílias

Boa Esperança: 30 famílias

Bom Sucesso do Sul: 30 famílias

Candói: 30 famílias

Guairá: 30 famílias

Jundiaí do Sul: 30 famílias

Laranjal: 30 famílias

Mangueirinha: 30 famílias

Mauá da Serra: 30 famílias

Nova Tebas: 30 famílias

Pinhão: 30 famílias

Rio Azul: 30 famílias

Santo Antônio do Sudoeste: 30

São Sebastião da Amoreira: 30 famílias

Turvo: 30 famílias

Da AEN