Sebrae apoia a inovação nas micro e pequenas empresas paranaenses

O ano de 2020 exigiu inovação e transformação digital das micro e pequenas empresas para enfrentarem o cenário de crise, trazida pela pandemia da Covid-19. Para auxiliar empreendedores neste sentido, o Sebraetec, iniciativa do Sebrae/PR, oferta caminhos para inovar por meio de serviços nos mais diversos segmentos com tecnologia e soluções diferenciadas. No ano passado, 1.351 empresas receberam investimentos que ultrapassaram R$ 10,8 milhões por meio do programa, que subsidia até 70% dos projetos.

O Sebraetec oferece mais de 270 soluções nos eixos de desenvolvimento tecnológico, produção e qualidade, design e sustentabilidade para pequenos negócios do comércio, serviços, indústria e agronegócio.  O propósito é promover e melhorar processos, produtos e serviços, aumentar a produtividade, desenvolver novos produtos, desenvolver a inovação e transformação tecnológica, entre outras melhorias.

Em Curitiba, a empresária Raíssa Yukie Yamassaki Rodrigues, recorreu ao Sebraetec para deixar um produto ainda mais atrativo para o mercado e melhorar a qualidade produtiva. Trata-se do Growing Drip, um sistema de irrigação, que faz de forma automatizada a rega das plantas e monitora o ambiente de cultivo por aplicativo.

“Buscamos um serviço de design industrial que oferecesse toda a parte da experiência do produto, aperfeiçoasse a parte visual e melhorasse o processo produtivo”, conta. A experiência, segundo ela, foi positiva, pois atendeu as expectativas e prazos determinados. “Em menos de um mês consolidamos aquilo que havíamos planejado. O Sebrae foi essencial, principalmente na pandemia, período em que os custos estão mais altos”, analisa.

Em Sarandi, no noroeste do Paraná, com auxílio do programa, uma empresa desenvolveu novo equipamento com capacidade desinfetante contra vírus e bactérias, que está em fase de validação. O sistema pode ser usado também contra o coronavírus. Na empresa de embalagens industriais, a ideia começou a ser trabalhada em meio às paralisações para ajudar a conter a pandemia, pelo empreendedor Ricardo Rogério de Santana.

O equipamento pode esterilizar ambientes e superfícies independente do material, metais, plásticos a couro, utilizando luz UV e ozônio. Para um estudo inicial, Santana procurou o Laboratório de Virologia Clínica/UEM e uma empresa de ônibus de Maringá, realizando testes em coletivos para analisar a eficácia do tratamento de desinfecção contra o HIV e o vírus da hepatite B, dadas algumas semelhanças com o Sars-CoV-2, o novo coronavírus.

Com bons indicativos de que a proposta funcionava, Santana buscou no Sebraetec apoio para estudos das normas técnicas que poderiam estar relacionadas ao equipamento médico e determinar os testes necessários e laboratórios capacitados para executá-los, a fim de obter autorização para o produto junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Por meio do programa recebi consultoria sobre a parte de normas para poder protocolar o equipamento. Fizemos todo o reprojeto do produto. Estamos nos preparando para realizar os ensaios necessários e validar o produto junto à Anvisa”, conta o empresário.

Paralelamente, uma segunda consultoria, via Sebraetec, ajudou na organização da empresa em relação às normas da Anvisa e da Vigilância Sanitária local que habilitará a empresa para produzir o equipamento. “O Sebraetec foi fundamental para essa preparação. Tentei um financiamento, mas ficaria muito caro. A consultoria feita assertiva, técnica e profissional. Sem esse apoio eu não conseguiria partir para a habilitação”, afirma Santana.

2020 – Em relação ao ano anterior, houve um aumento de quase 20% do total de empresas atendidas, Das 1351 empresas que receberam o subsídio pelo programa no estado, em 2020, 41% eram do agronegócio, 21% da indústria, 20% de serviços, 15% do comércio e 3% da construção. A maioria eram micro empresas (79%), 15% empresas de pequeno porte e 5% microempreendedores individuais, sendo que o serviço mais demandado foi o controle e melhoria de processos. Além do acesso aos fornecedores especializados e aos serviços tecnológicos para inovação, o Sebrae/PR também oferece subsídios nos serviços de consultorias tecnológicas, metrológicos, avaliação de conformidade e prototipagem. No período, foram 117.147 horas de consultorias.

Segundo o coordenador estadual de Inovação do Sebrae/PR, Weliton Perdomo, o Sebraetec constitui uma ótima oportunidade para as pequenas empresas buscarem se diferenciar no mercado por meio da inovação.

“Podem ser desenvolvidos projetos para produtividade e até a implementação de novas tecnologias. Ainda em tempos de crise e pandemia, é possível digitalizar os serviços, transformando em processos de atendimento online”, ressalta.

CURITIBA