Atentado com carro-bomba deixa ao menos nove mortos em Cabul

Pelo menos nove pessoas morreram e outras vinte ficaram feridas neste domingo, 20, após a explosão de um carro no oeste de Cabul, capital do Afeganistão. O ataque teria como alvo Khan Mohammad Wardak, membro do Parlamento afegão, que ficou ferido.

Todas as vítimas eram civis. De acordo com um comunicado do Ministério do Interior, mulheres e crianças estão entre os atingidos. Nenhum grupo reivindicou a autoria do atentado até o momento.

“Foi uma explosão poderosa que causou danos significativos às casas localizadas nas proximidades”, disse um funcionário do Ministério da Saúde.

Imagens da televisão local mostram pelo menos dois veículos em chamas, com nuvens de fumaça preta espessa.

Segundo o ministro do Interior, Massoud Andarabi, não ficou claro se o explosivo foi plantado em um carro estacionado na rota do legislador, ou se um veículo com a bomba estava sendo dirigido por um terrorista.

O Afeganistão tem visto um aumento acentuado da violência nas últimas semanas, enquanto o governo afegão e o Taleban mantêm negociações para encontrar o fim do conflito que já dura quase 20 anos no país.

Nas últimas semanas, o Estado Islâmico (EI) assumiu a responsabilidade por vários ataques sangrentos na capital, incluindo um contra a universidade e outro contra um centro educacional, que causaram no total mais de 50 mortes.

No sábado, 19, cinco projéteis do Estado Islâmico foram disparados contra a base aérea dos Estados Unidos em Bagram, no nordeste do país, sem causar feridos ou danos materiais ao complexo.

Bombardeios separados também foram relatados no domingo nas províncias de Logar, Nangarhar, Helmand e Badakhshan, nos quais vários civis e membros das forças de segurança foram mortos e feridos.

Na sexta-feira, 18, pelo menos 15 crianças morreram e 20 ficaram feridas quando uma motocicleta carregada de explosivos explodiu perto do local de uma cerimônia religiosa na província de Ghazni.

O Ministério do Interior afegão em um comunicado disse que o Taleban matou 487 civis e feriu 1.049 outros ao realizar 35 ataques suicidas e 507 explosões em todo o país nos últimos três meses. COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS